Advogado de Cristiano Ronaldo alega que provas contra o seu cliente são fabricadas

Goal.com

Acusado de estupro, Cristiano Ronaldo vê o escândalo se tornar cada vez maior e midiático. O mais novo capítulo da trama ocorreu nesta semana, quando os advogados que representam Kathryn Mayorga, pediram para o craque entregar qualquer evidência para apoiar a alegação de que os documentos sobre o suposto estupro foram fabricados.

Enquanto Mayorga acusa o jogador da Juventus de tê-la assediado sexualmente em um quarto de hotel em Las Vegas em 2009, o craque nega e afasta qualquer tipo de acusação sobre o assunto, enquanto o seu advogado confirma que houve um acordo entre ambas as partes, mas critica um novo relatório que diz ser baseado em evidências médicas.

No entanto, uma declaração dos advogados, Larissa Drohobyczer e Leslie Stovall, representantes de Mayorga, apontaram: "Estamos ansiosos para revisar qualquer evidência que posssa provar, como afirma o advogado de Ronaldo, que alguns dos documentos do 'Futebol Leaks' foram alterados, fabricados ou contêm informações falsas / imprecisas.".


Foto: Getty Images

Peter Christiansen, advogado de CR7, disse que os documentos que supostamente contam com declarações do jogador foram roubados por um hacker, e um site "acabou irresponsavelmente por publicar alguns", e "partes significativas foram mudadas e/ou completamente fabricadas".


Foto: Getty Images

Enquanto isso, na última quinta-feira (11), o Real Madrid anunciou que vai tomar medidas legais contra um jornal português que sugeriu que o clube pressionou Ronaldo a buscar um acordo com Mayorga.

"O Real Madrid não tinha conhecimento algum do caso ao qual o jornal se refere e que é relativo ao jogador Cristiano Ronaldo, e, portanto, não pôde exercer nenhuma ação sobre algo que desconhecia totalmente", afirmou o Real, por intermédio de um comunicado.

 

 

Leia também