Adriano explica por que recusou proposta de 100 milhões de euros para jogar na Premier League

·2 minuto de leitura

Fruto do subúrbio do Rio de Janeiro e cria do Flamengo, Adriano chegou à Itália com apenas 19 anos de idade. Contratado pela Inter de Milão no ano de 2001, o jovem atacante da perna canhota poderosa mal podia imaginar naquela época que se tornaria o Imperador, ídolo da apaixonada torcida nerazzurra, uma das mais fiéis do futebol local.

Rapidamente abraçado pelas arquibancadas, Adriano Imperador devolveu "na mesma moeda" a gratidão e o acolhimento que recebeu em seu tempo na Inter. Além dos gols e dos títulos conquistados, uma das formas encontradas pelo brasileiro para retribuir esse afeto foi com lealdade. Em entrevista concedida ao The Players' Tribune, o Imperador revelou que recusou uma proposta pesada do futebol inglês para permanecer em Milão:

Adriano recebeu proposta do Chelsea, mas recusou | New Press/Getty Images
Adriano recebeu proposta do Chelsea, mas recusou | New Press/Getty Images

"Eu poderia ter ido para o Chelsea e não fui por causa de consideração pelo Moratti [presidente da Inter à época]. Na época eram 100 milhões [de euros]. Não é que eu não quis jogar na Inglaterra, é porque era consideração mais do que dinheiro, mais do que tudo. Quando cheguei na Itália, o Moratti me abraçou de uma maneira... Quando eu levei a minha família, 44 pessoas, eu levei todo mundo para a Europa. Ele botou o ônibus lá para levar a minha família", contou.

Na ocasião, em 2005, a contratação mais cara do futebol havia sido a do francês Zinedine Zidane, contratado por 65 milhões de dólares pelo Real Madrid. Quatro anos depois, quando o Chelsea era treinado por Luiz Felipe Scolari, o clube do magnata Roman Abramovich chegou a cogitar uma nova investida por Adriano. Felipão queria que ele se tornasse o substituto de Didier Drogba. Porém, o negócio não foi adiante, e o técnico brasileiro acabou demitido logo em seguida.

Como teria sido Adriano Imperador na Premier League? Só podemos conjecturar. Mas o fato é que, em solo italiano, o Imperador marcou época: foram oito taças erguidas, incluindo quatro edições da Serie A Tim, conquistadas de forma consecutiva entre 2006 e 2009. Ao todo foram 74 gols e 27 assistências com a camisa da Inter de Milão, e um lugar cativo no rol dos atacantes que jamais serão esquecidos pelos Nerazzurri.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos