Adiantamentos vão tirar do Cruzeiro milhões da receita de 2023

Como presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá antecipou uma série de receitas do Cruzeiro (Pedro Vale/AGIF)
Como presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá antecipou uma série de receitas do Cruzeiro (Pedro Vale/AGIF)

Apesar da volta do Cruzeiro à Série A, Ronaldo Fenômeno continuará convivendo com uma série de problemas financeiros antigos durante o ano de 2023. Além das dívidas, os ex-presidentes Wagner Pires de Sá e Sergio Santos Rodrigues fizeram uma série de adiantamentos, que vão tirar receitas importantes da próxima temporada.

O Cruzeiro não terá, por exemplo, R$ 20 milhões da cota de TV do Brasileirão. Essa receita havia sido antecipada por Wagner Pires de Sá, presidente responsável pelo maior rombo do clube em todos os tempos.

Leia também:

O dinheiro do patrocínio máster de Pedrinho BH também não chegará aos cofres do Cruzeiro. Nem sequer um centavo dos R$ 12 milhões por ano. Sergio Santos havia usado no ano passado toda a grana de 2022 e 2023.

"Ainda ficaremos sem as receitas de alguns outros patrocínios e do programa de sócios-torcedores", acrescenta uma fonte cruzeirense. "Mas a capacidade de faturamento do Cruzeiro melhorou de forma considerável nos últimos meses e conseguiremos ser muito competitivos", completa.

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo Esportes

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Segunda Bola #89 - Por que Flamengo e Palmeiras estão dominando o futebol brasileiro?

Nos últimos cinco anos, Flamengo e Palmeiras dominaram o futebol brasileiro. Eles ganharam juntos quatro Libertadores, quatro Brasileirões (contando que a provável conquista do Palmeiras em 2022) e duas Copas do Brasil, sem contar Estaduais, Recopas e Supercopas. Os times que furaram esse domínio foram Altético-MG e Athletico-PR. É só dinheiro que importa? Há muita diferença de orçamento do Flamengo para o Palmeiras, sem contar todos os outros times?

Jorge Nicola, Alexandre Praetzel e André Carbone comentam se este período é apenas passageiro ou se deve continuar nos próximos anos, os projetos diferentes de Flamengo e Palmeiras, e projetando também o novo futebol brasileiro das SAFs.