Acusado de agredir esposa, Jean, do São Paulo, é preso nos EUA

JOÃO GABRIEL
Folhapress
**FOTO DE ARQUIVO** SÃO PAULO, SP, 05.02.2018: SÃO PAULO-JEAN - Mulher do goleiro Jean, do São Paulo, acusa jogador de agressão - O goleiro Jean no treino do São Paulo no CT da Barra Funda, na zona oeste da capital paulista. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)
**FOTO DE ARQUIVO** SÃO PAULO, SP, 05.02.2018: SÃO PAULO-JEAN - Mulher do goleiro Jean, do São Paulo, acusa jogador de agressão - O goleiro Jean no treino do São Paulo no CT da Barra Funda, na zona oeste da capital paulista. (Foto: Ronny Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O goleiro Jean, do São Paulo, está preso nos Estados Unidos após ter sido acusado pela esposa, Milena Bemfica, de tê-la agredido.

O atleta de 24 anos consta como "pré-sentenciado" no sistema da polícia do condado de Orange, na Flórida, por violência doméstica. A informação sobre a prisão foi publicada inicialmente pelo site Globoesporte.com e confirmada pela reportagem.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Segundo Larissa Salvador, advogada do escritório Marcelo Leal que trabalha na Flórida, a pré-sentença significa que não houve decisão sobre o caso e que ele está em investigação.

De acordo com ela, nem sequer o registro de queixa pela esposa é necessário para que o atleta tenha sido preso, mas simplesmente a suspeita de que tenha havido agressão.

Na madrugada desta quarta (18), Milena publicou três vídeos em seu Instagram em que afirmou estar trancada num banheiro em Orlando e que ele havia acabado de machucá-la. No vídeo, a mulher aparece com o rosto ferido, e é possível ouvir uma voz ao fundo, que ela diz ser do atleta, do outro lado da porta.

Segundo o site da polícia, sua entrada na prisão foi às 9h27 pelo horário de Brasília, 7h27 no horário local. Portanto, horas depois das publicações.

Na sequência dos vídeos, Milena publicou uma cópia de mensagens que teria recebido do jogador às 4h32, também pela rede social, na qual Jean diz que a mulher acabou com sua carreira e por isso "suas filhas vão passar fome". "Pressão psicológica pós-agressão", declarou Milena.

Segundo o Globoesporte, no boletim da ocorrência, o xerife do caso que foi ao hotel diz que a esposa relata ter recebido oito socos na cabeça. Tentando se defender, teria atirado uma chapinha de cabelo no goleiro, cortando sua perna.

Procurada, a assessoria de imprensa do jogador diz que aguarda mais informações sobre o caso e ainda não sabe se ele irá se pronunciar. O São Paulo emitiu um comunicado dizendo que acompanha o caso e "aguarda apuração dos fatos para definir as medidas cabíveis".

Mais tarde, Milena apagou os vídeos e as mensagens iniciais e fez novas postagens. Nelas, diz que é de madrugada em Orlando, que já está em outro lugar e a salvo. "Já passou. Estou com as meninas [as filhas]. Depois eu vou me pronunciar", afirmou ela, que também declarou estar sem telefone celular para se comunicar.

O casal tem duas filhas e passava férias em Orlando, nos Estados Unidos.

"O fato de ele ter sido preso não significa que automaticamente vá haver um caso contra ele. Nesses casos de violência doméstica, a não ser que a esposa faça a queixa oficial, o caso não vai para a frente", afirma Larissa Salvador.

Jean deve ser chamado para comparecer a uma audiência perante um juiz, em que serão lidas as acusações às quais ele responde e apresentado o valor de fiança para que responda em liberdade.

“Eventualmente, a Justiça americana pode mandar o processo para o Brasil, já que aqui é o país de residência dele. No caso, seria a Justiça Federal do estado que ele reside [São Paulo] que seria a competente para julgamento da causa”, diz o advogado criminalista Daniel Bialski.

No São Paulo desde 2018, Jean já teve problemas internos no clube. Desentendeu-se com o goleiro Sidão, então titular, pelas redes sociais, em março do ano passado.

O fato ocorreu pouco depois de Jean falhar durante a partida contra o São Caetano, pelo Campeonato Paulista. No dia seguinte, Sidão postou um vídeo no seu Instagram com defesas suas pela equipe (então, ele estava lesionado e afirmou que era uma comemoração por sua recuperação). No treino, o reserva foi tirar satisfação pessoalmente com o companheiro, e o caso gerou grande mal-estar no elenco.

Um ano depois, Jean foi afastado dos treinos e multado após deixar uma reunião comandada pelo então técnico interino Vagner Mancini. Ele disse ter sido perseguido pelo treinador e cobrado por tomar banho após partida contra o Palmeiras, derrota por 2 a 0.

Leia também