Acesso do Vasco fará Nenê cumprir promessa em jogo que pode marcar sua despedida do clube

Nenê viveu muitos momentos decisivos no Vasco, mas nada como a "Batalha de Itu" (Arte: JP Soares / LANCE!)


Quando a bola rolar no Novelli Júnior, às 18h30, para Ituano e Vasco, um dos jogadores mais importantes do Cruz-Maltino nos últimos anos pode estar se despedindo. Aos 41 anos e em final de contrato, Nenê fará o seu 191º jogo, possivelmente o mais decisivo com a Cruz de Malta no peito. Além de valer o acesso, a partida representa o cumprimento de uma promessa feita pelo jogador no ano passado.

Após o Vasco ser goleado pelo Botafogo por 4 a 0, em São Januário, o time praticamente deu adeus ao acesso na Série B. Na saída de campo, Nenê, aos prantos, prometeu que ficaria no clube até ele voltar para a elite do futebol brasileiro.

- É a segunda vez que venho ajudar e sinto que falhei. Mas Deus sabe de todas as coisas. Não vou baixar a cabeça. Sei que dei tudo de mim e vou continuar dando até o último segundo. Vou ficar até o Vasco subir, igual da primeira vez - prometeu Nenê em 2021.

+ Em fim de contrato com o Vasco, Nenê é sondado por Renato Gaúcho no Grêmio

A promessa foi acompanhada por um desabafo, quando Nenê revelou que falhou pela segunda fez. O camisa 10 se referiu ao ano de 2015, o primeiro dele pelo Vasco. Na ocasião, o meia só faltou chover e conduziu o time em uma arrancada impressionante, mas que não evitou o rebaixamento na última rodada do Campeonato Brasileiro.

Aquele sentimento de falha provavelmente foi superado por Nenê, já que no ano seguinte, mesmo com propostas para sair, o camisa 10 permaneceu no Vasco e, além de conquistar o Carioca, último título do clube, foi o grande destaque da Série B de 2016, que terminou com o acesso. De quebra, foi fundamental na campanha no Brasileiro que terminou com a classificação para a Libertadores de 2018.

+ Última rodada da Série B definirá duas vagas; veja a classificação

O acesso do Vasco representará para Nenê a redenção e o sentimento de dever cumprido que, talvez, dê ao jogador o posto de ídolo, condição que divide a opinião dos torcedores vascaínos. A identificação com o Cruz-Maltino não se discute. É o clube que mais defendeu na carreira e que alcançou marcas importantes no Século 21, se tornando o vice-artilheiro do time, com 59 gols, atrás apenas de Romário, que fez 131, e líder de assistências, com 49 passes decisivos.

Para subir, o Vasco terá um confronto direto com o Ituano. Com 59 pontos, o Cruz-Maltino tem a vantagem do empate, enquanto para o adversário, apenas a vitória interessa.