Acabaram as chances de Neymar ser o melhor do mundo?

Goal.com

Por Tauan Ambrosio 

Neymar acreditou, se movimentou pelo campo de ataque inteiro contra a Juventus e criou chances de gol (4 no total) como nenhum outro jogador do Barcelona. Foi quem mais sofreu faltas (4) e tentava jogadas de efeito para buscar alguma falha no sistema defensivo da equipe italiana, que após vencer por 3 a 0 na ida jogou com o regulamento debaixo do braço para avançar rumo às semifinais da Champions League.

Quando se considera as grandes estrelas do Barça, o brasileiro foi quem mais se esforçou para levar a equipe catalã adiante na competição [embora Messi tenha terminado a partida com sete arremates, e somente um deles na direção do gol defendido por Gianluigi Buffon].

Entretanto, os italianos foram perfeitos defensivamente e deixaram o Camp Nou, na última quarta-feira (20), com um empate sem gols que os levaram à fase seguinte do torneio europeu.  O juiz holandês Björn Kuipers mal apitou o final da partida, e o craque brasileiro teve de enfrentar a dura realidade da eliminação. Desta vez ele não conseguiu levar o seu time adiante, o milagre não aconteceu e Neymar não teve vergonha de mostrar para milhões de pessoas que estava chorando.

Dani Alves Neymar Barcelona Juventus UCL 19042017
Dani Alves Neymar Barcelona Juventus UCL 19042017

Dani Alves consola Neymar após eliminação (Foto: Getty Images)

Até porque talvez tenha caído, junto com suas lágrimas, a grande chance de acabar com a hegemonia de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi na briga para saber quem é o melhor jogador do mundo. Embora tenha dito inúmeras vezes que não tem pressa para conquistar o prêmio individual, o craque brasileiro sabia que o momento era todo favorável para si.

No Barcelona de Messi, era ele quem vinha decidindo com maior brilho na Champions League. Embora o argentino ainda seja o artilheiro da competição que segue em disputa [11 gols], foi o camisa 11 o protagonista da virada espetacular sobre o Paris Saint-Germain, ao ter convertido dois gols nos minutos finais e ainda ter dado uma assistência. Além disso, vinha desfilando bom futebol ao ser o maior ‘garçom’ da competição [8 passes para gol] e o jogador que mais cria chances para os seus companheiros [26 oportunidades criadas].

Barcelona PSG Neymar
Barcelona PSG Neymar

No mata-mata da Champions, Neymar era o melhor do Barça (Foto: Getty Images)

A conquista do principal torneio europeu de clubes é praticamente um passaporte garantido para aparecer com destaque nas votações da Bola de Ouro. No período de seis anos [de 2010 até 2016] em que a congratulação idealizada pela revista France Football era dada em conjunto com a Fifa [que a partir deste ano voltou a ter um prêmio somente seu], apenas em 2010 e 2012 atletas dos times campeões da Champions League [Internazionale e Chelsea, respectivamente] não chegaram entre os três melhores do mundo.

Exatamente em 2010 e 2012, Lionel Messi e Cristiano Ronaldo [atual melhor do mundo e campeão da Champions League] ficaram respectivamente com os prêmios após conquistarem o Campeonato Espanhol. O grande problema para Neymar, levando em consideração todo esse histórico, é que hoje o Barça está atrás do Real Madrid [que, vale lembrar, também segue forte na Champions] na liga espanhola. O El Clásico, que será disputado neste domingo (23), pode diminuir essa diferença - ainda que os Blancos estejam com um jogo a menos, e que o Barça entre em campo sem Neymar, suspenso.

Lionel Messi e Cristiano Ronaldo são figuras carimbadas nessas disputas. É praticamente impossível que os dois maiores craques da atualidade não apareçam nas premiações do próximo ano. Ou seja: a briga é pela terceira vaga, e com o futebol que Neymar vinha apresentando na Champions League ela teria mais peso do que nunca. Não foi apenas o Barcelona que parou na muralha erguida pela Juventus, na última quarta-feira (20): Ney viu a sua melhor chance de aparecer, pela primeira vez, como real candidato a melhor do mundo cair junto com o seu clube.

... que venham as próximas temporadas! Afinal de contas, como o próprio Neymar disse: "O choro de hoje se tornará a alegria de amanhã”

Leia também