Aberto da Austrália vai começar só no dia 8 de fevereiro, diz ATP

·1 minuto de leitura
Novak Djokovic, da Sérvia, vai buscar seu nono título no Aberto da Austrália, torneio do Grand Slam que foi adiado em três semanas devido ao coronavírus

O Aberto da Austrália será disputado de 8 a 21 de fevereiro de 2021, anunciou a ATP nesta quinta-feira, confirmando o adiamento causado pelas restrições sanitárias da pandemia neste torneio de tênis que deveria começar em 18 de janeiro.

As eliminatórias masculinas acontecerão de 10 a 13 de janeiro em Doha, no Catar, e os jogadores classificados e suas equipes de apoio viajarão para a Austrália para passar por uma quarentena obrigatória de 14 dias, informou a ATP, sem indicar o que acontecerá com as eliminatórias femininas.

Segundo a imprensa local, os atletas e seus acompanhantes serão obrigados a se hospedar nos hotéis designados para eles e poderão treinar cinco horas por dia. Os organizadores serão responsáveis pelo transporte entre os hotéis e o Melbourne Park.

A Tennis Australia não confirmou esta informação até o momento.

O torneio de Adelaide, reduzido a 12 equipes, e um torneio ATP 250 serão realizados em Melbourne antes do Aberto.

"Juntos, com o apoio do nosso torneio, jogadores, parceiros e a Tennis Australia, conseguimos nos adaptar e criar um começo de temporada emocionante", avaliou o presidente da ATP, Andrea Gaudenzi.

"Saúde e segurança continuarão sendo essenciais para enfrentarmos os desafios que temos pela frente", acrescentou.

O sérvio Novak Djokovic busca o nono título na Austrália, depois de derrotar o austríaco Dominic Thiem na final em fevereiro.

A americana Sofia Kenin vai defender o título conquistado no mesmo mês de fevereiro ao vencer na final a espanhola Garbiñe Muguruza.

O diretor do Australian Open, Craig Tiley, disse que entre 25% e 50% das arquibancadas serão abertas ao público.

A Austrália registrou cerca de 28.000 casos de coronavírus em uma população de 25 milhões e cerca de 900 mortes.

hr/dh/roc/plh/erl/lda/aam