Abel exalta dedicação do elenco após título invicto: 'Alma de guerreiros'

João Mércio Gomes
Entre jovens da base e veteranos encostados, treinador credita conquista a postura dos jogadores nos dois meses de trabalho na temporada

Mesmo sem grandes reforços na temporada, o Fluminense alcançou o primeiro título em 2017. A Taça Guanabara, invicta, veio em cima do rival Flamengo, com elenco recheado de estrelas. Para Abel Braga, a conquista não veio por acaso. O treinador reforçou a postura e a 'alma de guerreiros' do elenco nos dois meses de trabalho a frente do clube.

- Sinto um orgulho formidável de trabalhar com esse grupo. Eles treinaram depois da viagem por vontade própria. Não sou mentiroso. Onde ia, não prometia nada. Agora, que ia ter alma de guerreiro, ia ter. As dificuldades são sempre grandes mas está resgatada a confiança. Como consegue confiança? Só com trabalho. E isso só acontece com verdade no grupo. Falei isso pra eles na palestra antes do jogo.

O treinador ainda revelou que sabia da ausência de Scarpa desde a quarta-feira, quando estava em Sinop-MT pela Copa do Brasil. Para o lugar do camisa 10, apostou em Richarlison em um esquema de três atacantes. Abel acredita que só deu certo por conta do 'sacríficio' de alguns jogadores.

- Ele queria, mas não é assim. Falei pro médico: não adianta fazer esforço surreal porque não vai estar 100%. Era o pé direito, pé de apoio. O problema dos três atacantes era esse, saber que a perda de bola é mortal. Fico feliz porque 'sacrifiquei' muito o Richarlison e o Wellington, mas acima de tudo o Sornoza. Estou muito feliz, os jogadores compraram a ideia - afirmou o treinador.

Confira outros trechos da coletiva de imprensa:

Força do Flamengo
- Pra gente tentar superar o Flamengo foi muito no aspecto tático. Eles jogam juntos há um ano. Mostrei pros jogadores uma jogada em que Diego puxa a jogada e bota na entrada da área pro Guerrero que botou Arão na cara do gol. Só um time muito coletivo cria uma jogada daquelas. Pagamos o preço porque o Flamengo é muito forte na bola aérea

Jogo de hoje
'Se for falar muito desse jogo, não vamos conseguir dizer o que aconteceu. Foi fabuloso, uma final surreal. Placar de 3 a 3 e as duas equipes atacando. Fora de campo as coisas correram bem, creio eu. Que sirva de exemplo. Não é necessário matar, brigar. É necessário torcer, apoiar. Hoje as equipes deram uma grande demonstração dentro de campo. As torcidas também. Mas eu me sinto pequeno pra dizer o que aconteceu no campo, foi simplesmente fantástico.'
RemoverEditar















E MAIS: