Abel exalta caráter do elenco e afirma que o Palmeiras poderia ter vencido o Cuiabá

Abel citou as várias qualidades que vê no time que comanda  (Foto: Cesar Greco)


Abel Ferreira e o Palmeiras não irão se contentar apenas com o título brasileiro. A equipe alviverde quer terminar o Brasileirão sem perder fora de casa, e essa é a meta para as últimas rodadas.

+ Relembre a invencibilidade do Palmeiras fora de casa no Brasileirão

Na coletiva, o treinador do Verdão detalhou a conversa que teve com os jogadores antes do empate por 1 a 1 com o Cuiabá, e explicou que a única coisa que pede para seus atletas é entrega dentro de campo.

- Vou dizer o que disse aos jogadores antes de sairmos para o jogo. Eu trabalho com pessoas de enorme caráter e qualidade, e eles sabem que aconteça o que acontecer, sempre estarei aqui para ajudá-los e apoiá-los. A única coisa que peço a eles é que cada um seja responsável nas tarefas e que dê o melhor de si. Não peço mais nada. Os resultados são consequências - iniciou.

O técnico português exaltou a capacidade da equipe para encarar diferentes cenários, e valorizou a atitude do elenco durante os 90 minutos.

- Se perguntam se a nossa equipe joga bonito? Não. A nossa equipe joga muito bem. Consegue interpretar todos os momentos do jogo, o futebol não é apenas quando temos a bola, e isso me deixa confiante e com a certeza que temos, além de grandes homens, sabem que tem apoio. Se tivéssemos perdido o jogo com essa atitude, estaríamos juntos na mesma. Eles mostraram isso o ano inteiro, e por isso gosto de estar aqui, porque eles jogam bem. Jogar bem é saber defender, atacar, transitar, defende escanteios, laterais, perceber os objetivos do jogo

+ Veja tabela e simule a reta final do Campeonato Brasileiro

EMPATE COM SABOR DE DERROTA?

Segundo o Footstats, o Palmeiras completou 27 finalizações contra o Dourado, e mesmo assim saiu apenas com um ponto. O treinador do Verdão deu méritos ao Cuiabá, mas reforçou que pelas chances criadas, sua equipe merecia sair da Arena Pantanal vitoriosa.

- Jogamos contra uma equipe bem organizada, competitiva, vinha de um resultado positivo. O Palmeiras tem outros recursos, e honestamente, poderíamos ter vencido esse jogo. Mas temos que lembrar o quanto significava para o adversário, disse isso aos meus jogadores. Sabíamos que seria difícil, mas mesmo sofrendo um gol no primeiro ataque, o melhor jogador deles foi o goleiro - analisou.

- Temos que aceitar o resultado porque às vezes essas equipes com menos recursos dão tudo, e infelizmente esse ponto é melhor para eles do que nós pelo que aconteceu. Fica aqui mais um jogo sem perder, mas poderíamos ter ganho o jogo - ponderou o português.

O treinador palmeirense exaltou a atuação do goleiro Walter, que impediu a vitória palmeirense, e lamentou a chance perdida por Rony no primeiro tempo.

- Fica o registro de uma grande atuação do goleiro deles. Vão lembrar do remate do López e o rebote do Rony. O Rony, com calma, tem que fazer aquele gol, mas aconteceu, só falha quem está lá. Há mérito do adversário, que não tem um elenco tão qualificado como o nosso, mas outras armas, como a organização - frisou.

Agora, o Palmeiras se prepara para o 'jogo da taça', quarta-feira (9), às 21h30, contra o América-MG, no Allianz Parque