Abel coloca Talles e Pikachu como dúvidas na Sula e se diz 'tão chateado quando a torcida'

Luiza Sá
LANCE!
Abel Braga, durante a partida entre Vasco e Cabofriense (Foto: Andre Melo Andrade/MyPhoto Press)
Abel Braga, durante a partida entre Vasco e Cabofriense (Foto: Andre Melo Andrade/MyPhoto Press)


Depois do adiamento da partida, o Vasco teve mais uma atuação ruim com sua equipe titular e acabou derrotado pela Cabofriense por 1 a 0 em São Januário, nesta sexta-feira. Após a partida, em entrevista coletiva, o técnico Abel Braga admitiu o rendimento abaixo do esperado e afirmou que o lateral-direito Yago Pikachu e o atacante Talles Magno não estavam em totais condições de jogo. Os dois são dúvidas para o confronto contra o Oriente Petrolero, da Bolívia, na próxima quarta-feira, na casa vascaína, pela Sul-Americana.

- Não pensei em poupar. O clássico só teria importância se tivéssemos vencido hoje. Não aconteceu, então, vamos ver quem vai estar bem. Fui para esse jogo com dois jogadores não 100%. Pikachu é outro problema, nem sei se para quarta, o próprio Talles. Mas não tinha pensado em domingo, se passássemos hoje eu ia pensar, mas não fizemos. Talles teve problema de púbis e o Pikachu já estava estranho no primeiro tempo, está reclamando da panturrilha.

Ao final da partida, o treinador foi novamente vaiado e xingado pela torcida no estádio. Sobre a pressão, Abel entende que é natural de um time do tamanho do Vasco. No próximo domingo, o comandante deve mandar o time reserva para o duelo contra o Botafogo, no Estádio Nilton Santos, às 16h.

- Isso aqui é Vasco, um time muito grande. Quero que fique claro, sou treinador da equipe, não faço parte de ala política. Estou tão chateado quando a torcida. Não estou gostando da maneira que o time está jogando. Precisamos melhorar para quarta - afirmou.






Abel admitiu que o Vasco tem situação muito delicada na Taça Guanabara. A equipe pode ser eliminada já neste final de semana em caso de vitória de Madureira ou Volta Redonda. Além disso, o treinador afirmou que a equipe ainda precisa melhorar o rendimento.

- Praticamente impossível. Torcer para eles perderem duas, vamos priorizar a Sul-Americana. É nisso que nos planejamos. O Vasco terminou o ano bem com o time titular, com empatia com a torcida. Mas 40% dos titulares saíram. A defesa é quase a mesma, menos o zagueiro central, Guarín, Rossi e Richard saíram. Tentamos não mudar muito, temos que jogar melhor. O torcedor está chateado com razão. Tem que fluir, vamos achar o time. Tava calor, sim, para quem cria é mais complicado e tentamos fazer isso, mas o adversário jogou com esse calor também. Ninguém vai desistir. Tem muita cobrança. Hoje foi uma cobrança séria. Depois os jogadores falam que não tem chance. Esperávamos uma atuação melhor - completou.


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também