'A Fazenda 11': Sabrina é chamada de "macaca" pela produção

Yahoo Vida e Estilo
Foto: Divulgação/Record
Foto: Divulgação/Record

O reality ‘A Fazenda’ ficou entre os assuntos mais comentados desta terça-feira (5) por conta de uma polêmica envolvendo a participante Sabrina Paiva. A peoa contou para os colegas de confinamento que foi chamada de “macaca” por um funcionário da produção do programa.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O relato viralizou nas redes sociais e as tags “racismo é crime” e “Sabrina merece respeito” ficaram em evidência. No vídeo compartilhado, a modelo diz que o insulto veio “por trás dos vidros”, área onde circulam apenas funcionários e câmeras do reality.

“Acho que aquilo foi pra mim, de verdade. Eu era a única que estava em pé. Você viu? Na hora que estava tomando água, estava todo mundo sentado. Aí só ouvi um ‘senta aí, macaco’ e um palavrão”, contou Sabrina.

Leia também

Assim como a miss, Hariany e Rodrigo Phavanello confirmaram o relato e ficaram indignados. “Ele falou: ‘senta aí logo, macaco'”, reiterou a goiana. Rodrigo completou que o caso é grave e compartilhou o acontecimento com outros peões da casa. Os colegas, porém, amenizaram a situação dizendo que pode ter sido um diálogo entre funcionários.

Sabrina revelou torcer para que o termo racista não tenha sido direcionado para ela. “Eu não tô surda, a Hari também ouviu”, assegurou. Nas redes sociais, a assessoria da modelo afirmou que exigirá um posicionamento da emissora.

Na manhã desta quarta-feira (6), a Record confirmou o episódio. Em nota, a emissora informou que a produtora Teleimage (que presta serviços à Record TV e é a contratante do operador de câmera) identificou o ofensor ao fim da atração. Ele foi repreendido e teve seu contrato de trabalho rompido sumariamente.

Muitas polêmicas

A 11ª edição da Fazenda tem sido marcada por inúmeras polêmicas. Além do caso de racismo, a temporada já teve uma expulsão por assédio, reclamações por causa de maus-tratos aos animais e um show de frases misóginas. Até aqui, o que mais repercutiu foi a expulsão de Phellipe Haagensen.

Na ocasião, Marcos Mion falou que a emissora tem o dever de cumprir as leis. “Beijo roubado e forçado, ‘encoxada’, mãos bobas são considerados crimes sexuais. É proibida qualquer ação que coloque em risco a integridade física dos participantes e a produção deve cumprir o regulamento, mas também deve cumprir as leis (...)”




Leia também