A amigos, presidente do São Paulo revela que não vai renovar contrato de Lugano

Jorge Nicola
Uruguaio fez 30 jogos e marcou gols desde seu retorno, em 2016 (Rubens Chiri/São Paulo)

Um dos maiores ídolos do torcedor são-paulino, Lugano deve se despedir do clube em três meses. É que o contrato do uruguaio termina em 30 de junho e o presidente Leco tem afirmado para seus diretores que não tem a intenção de manter o zagueiro no Morumbi. Tanto que o São Paulo nem o procurou até agora para conversar sobre o assunto.

Importante: todas as decisões desse tipo têm sido tomadas com a concordância de Rogério Ceni. Apesar de muito amigo de Lugano, o treinador entende que ele não tem o estilo de jogo que um zagueiro do seu time precisa. O curioso é que Lugano ainda não perdeu no ano, depois de cinco jogos.

Leco e Rogério Ceni entendem que o custo-benefício do uruguaio de 36 anos é ruim. Ele ganha R$ 280 mil por mês e é reserva. A dupla de zaga tem sido formada por Rodrigo Caio e Maicon, enquanto Breno surge quase sempre como primeira opção para substituí-los.

O São Paulo fechou nesta quinta-feira a venda de Lyanco, conforme o Blog antecipou um dia antes. A saída do zagueiro poderia melhorar a situação de Lugano, já que a concorrência diminuiria. Mas um novo contrato, que nunca foi cogitado, só seria possível se o uruguaio topasse reduzir consideravelmente seu salário.

Somente Maicon, que embolsa aproximadamente R$ 475 mil mensais, ganha mais do que Lugano. Rodrigo Caio tem salário de R$ 140 mil, valor parecido ao dos vencimentos de Lucão, Breno e Douglas.

Lugano nunca escondeu a vontade de encerrar a carreira no Tricolor, por isso rompeu seu vínculo com o Cerro Porteño em 2015. Desde então, acumula 30 jogos e dois gols marcados. Contando também a primeira passagem, de 2002 a 2006, ele tem 200 partidas com a camisa tricolor e 13 gols.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: