8 razões para acreditar que 2021 é o ano dos azarões

·4 minuto de leitura

Favoritismos confirmados dificilmente escrevem belas histórias no futebol. Precisamos concordar: não existe muita graça em ver as equipes mais ricas e populares confirmarem sua vantagem frente aos adversários. Nós gostamos dos azarões. Daqueles que não são favoritos, mas jogam contra todos os prognósticos e provam que o esporte jamais será uma ciência exata.

Com o fim da Copa América e Eurocopa, revisitamos alguns acontecimentos deste ano e temos uma teoria: 2021 é o ano dos azarões. Acompanhe.

1. No caminho do Palmeiras havia Defensa e CRB

Palmeiras perdeu a decisão nos pênaltis | Pool/Getty Images
Palmeiras perdeu a decisão nos pênaltis | Pool/Getty Images

Depois da tríplice coroa em 2020, o Palmeiras "desembarcou" na atual campanha ostentando um favoritismo ingrato. Logo nos primeiros meses do novo ano futebolístico, o Alviverde esbarrou no aguerrido Defensa y Justicia e ficou sem a Recopa Sul-Americana.

Meses mais tarde, o roteiro esportivo tinha outros planos para o Verdão. Mesmo dominando a partida estatisticamente, os comandados de Abel Ferreira não conseguiram conter o ímpeto do CRB e caíram na terceira fase da Copa do Brasil.

2. Del Valle avançou na Arena Grêmio

Imortal perdeu de virada em casa | Pool/Getty Images
Imortal perdeu de virada em casa | Pool/Getty Images

Em plena Arena Grêmio, o Imortal foi aniquilado de virada pelo Independiente del Valle. O resultado, que culminou na demissão de Renato Gaúcho, eliminou o clube de Porto Alegre ainda na chamada Pré-Libertadores. E olha que muitos torcedores já tinham sonhado com o tão sonhado confronto entre Palmeiras e Grêmio...

3. O Campeonato Italiano 2020/21

Velha Senhora perdeu sua hegemonia no cenário nacional e ainda foi eliminada precocemente da Champions League | Marco Luzzani/Getty Images
Velha Senhora perdeu sua hegemonia no cenário nacional e ainda foi eliminada precocemente da Champions League | Marco Luzzani/Getty Images

A longa hegemonia da Juventus não resistiu ao diferenciado plantel de Antonio Conte. Na Série A 2020/21, quem dominou foi a Inter de Milão. Como se não bastasse perder o título do torneio nacional, a Velha Senhora de Cristiano Ronaldo precisou contar com um pouquinho de sorte para confirmar vaga na Champions League, e mesmo assim ainda ficou atrás de Milan e Atalanta.

4. Manchester United deixou o Villarreal sonhar, e pagou caro

Rulli segurou a cobrança de De Gea | Maja Hitij/Getty Images
Rulli segurou a cobrança de De Gea | Maja Hitij/Getty Images

Houve quem dissesse que a final da Europa League, disputada entre Villarreal e Manchester United, seria "desnivelada". Não foi o que vimos. Na grande decisão, os populares donos do Old Trafford sucumbiram ao Submarino Amarelo de Unai Emery depois de 22 penalidades máximas. Foi uma daquelas noites memoráveis...

5. Argentina faz história no Maracanã

Jejum da Argentina chegou ao fim | Alexandre Schneider/Getty Images
Jejum da Argentina chegou ao fim | Alexandre Schneider/Getty Images

Apesar das polêmicas envolvendo torcida, patriotismo e política, a seleção brasileira chegou à final da Copa América guardando certo favoritismo, sobretudo pelo palco da decisão: o Maracanã. Acontece que De Paul, Di María e Messi pouco se importaram com os prognósticos: 1 a 0 nos comandados de Tite, e fim de um jejum que já durava mais de três décadas.

6. A Eurocopa de Sommer e Schick

Sommer defendendo cobrança de Mbappé | Daniel Mihailescu - Pool/Getty Images
Sommer defendendo cobrança de Mbappé | Daniel Mihailescu - Pool/Getty Images

Seja pela tradição passada ou eventos recentes, sempre há uma grande carga acompanhada quando se enfrenta França e Holanda. Contudo, a Eurocopa 2020 "detonou" qualquer casa de apostas e promoveu uma história bem diferente.

O goleiro suíço Yann Sommer tratou de despachar Mbappé e seus companheiros mais cedo para casa, assim como Patrik Schick, da República Tcheca, não quis saber das cifras milionárias do elenco holandês. Acontecimentos assim tornaram o campeonato de seleções ainda mais único.

7. Os campeonatos nacionais da Europa

Suárez foi um dos grandes heróis das últimas duas rodadas | Angel Martinez/Getty Images
Suárez foi um dos grandes heróis das últimas duas rodadas | Angel Martinez/Getty Images

Com exceção da Bundesliga e Premier League, grande parte das outras competições nacionais nos trouxe surpresa. Na Ligue 1, o Paris Saint-Germain até lutou, mas não conseguiu ultrapassar o Lille na tabela. Alguns quilômetros de distância dali, na Espanha, o Atlético de Madrid provou que LaLiga vai muito além de Barcelona e Real Madrid.

8. Leicester desbanca Chelsea

Favorito Chelsea não conseguiu vencer o Leicester na final da FA Cup | Marc Atkins/Getty Images
Favorito Chelsea não conseguiu vencer o Leicester na final da FA Cup | Marc Atkins/Getty Images

Depois de cambalear com Frank Lampard, o Chelsea de Thomas Tuchel cresceu até virar uma "pedra no sapato" de Pep Guardiola - roteiro que se repetiu na Champions League. Contudo, na final da FA Cup, disputada contra o Leicester City, melhor para os Foxes. Youri Tielemans só precisou de um chute certeiro para deixar a taça bem longe de Londres.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos