8 jogadores que viraram ídolos mesmo sem conquistar títulos por seus clubes

·2 minuto de leitura

Para ser ídolo é preciso levantar alguma taça? Os 8 casos abaixo mostram que não. Gols, carinho e história, por vezes, colocam um jogador no mesmo patamar de um verdadeiro campeão.

1. Renato Cajá (Ponte Preta)

História recente do clube é muito ligada ao meia | Ricardo Nogueira/Getty Images
História recente do clube é muito ligada ao meia | Ricardo Nogueira/Getty Images

O meia tem cinco passagens pela Macaca, clube que jamais ganhou um título em sua história. Porém, o camisa 10 é considerado uma referência para os torcedores por conta de sua qualidade e doação ao clube.

2. Harry Kane (Tottenham)

Atacante já chegou perto de uma taça ela equipe londrina | Visionhaus/Getty Images
Atacante já chegou perto de uma taça ela equipe londrina | Visionhaus/Getty Images

O centroavante é capitão da seleção inglesa e ídolo absoluto do Tottenham. Ele chegou aos Spurs em 2004 para, cinco anos depois, ser promovido ao time principal. Levou o Tottenham ao vice da Champions League 2018/2019. Mas título que é bom...

3. Hernán Barcos (Grêmio)

Argentino conquistou o carinho dos tricolores com muita bola na rede | Alan Pedro/Getty Images
Argentino conquistou o carinho dos tricolores com muita bola na rede | Alan Pedro/Getty Images

Ele chegou ao clube como grande estrela da temporada de 2013. Ficou até 2015 sem ganhar nada, mas deixou a Arena com o rótulo de estrangeiro com mais gols na história do Grêmio. A torcida reconhece isso.

4. Alan Shearer (Newcastle)

Jogador defendeu o clube que mais ama por uma década | Stu Forster/Getty Images
Jogador defendeu o clube que mais ama por uma década | Stu Forster/Getty Images

Defendeu seu clube do coração de 1996 a 2006. É exaltados pelos fãs, mas não por conta de taças levantadas. São quase 150 gols pela equipe.

5. Edenílson (Internacional)

Camisa 8 pode deixar o Beira-Rio em breve | ITAMAR AGUIAR/Getty Images
Camisa 8 pode deixar o Beira-Rio em breve | ITAMAR AGUIAR/Getty Images

A torcida do Internacional valoriza demais o fato de o meio-campista ter aceitado retornar da Europa para participar de um momento de reestruturação do clube. De 2018 para cá, sempre que o Inter esteve a ponto de ganhar um título (Copa do Brasil de 2019 e Brasileirão de 2020), o camisa 8 era um dos destaques.

6. Roberto Baggio (Fiorentina)

Italiano tem história no futebol mundial | Alessandro Sabattini/Getty Images
Italiano tem história no futebol mundial | Alessandro Sabattini/Getty Images

Jogou no clube italiano de 1985 a 1990. É difícil ganhar alguma coisa com a Fiorentina. Ele conquistou, apenas, fãs de carteirinha.

7. Zé Roberto (Portuguesa)

Meio-campista iniciou carreira no gramado do Canindé | Friedemann Vogel/Getty Images
Meio-campista iniciou carreira no gramado do Canindé | Friedemann Vogel/Getty Images

O atleta apareceu para o futebol como jogador da Lusa na década de 1990. Chegou, por exemplo, à final do Campeonato Brasileiro de 1996. É impossível falar dele sem citar o clube paulista, que o reverencia até hoje.

8. Zico (Udinese)

Galinho atuou entre 1983 e 1985 no futebol italiano | Alessandro Sabattini/Getty Images
Galinho atuou entre 1983 e 1985 no futebol italiano | Alessandro Sabattini/Getty Images

Foram apenas duas temporadas na equipe italiana entre a primeira e a segunda passagem pelo Flamengo. Ganhou o coração da torcida com gols, mas faltou a taça. Até hoje é reverenciado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos