7 vezes em que Ronaldinho Gaúcho provou ser 'o Bruxo'

Nathalia Almeida
·4 minuto de leitura

No dia 21 de março de 1980, em Porto Alegre, nascia alguém que, muitos anos depois, mudaria o significado da expressão 'futebol arte'.

Ronaldo de Assis Moreira, popularmente conhecido como Ronaldinho Gaúcho, completa 41 anos neste domingo (21). E para nós que amamos futebol, o dia é de render homenagens justas a um dos personagens que mais encantou com a bola nos pés, inspirando toda uma geração de jovens jogadores. A seguir, relembramos 7 momentos em que Ronaldinho provou ser 'o Bruxo', pelo dom de arrancar sorrisos e aplausos com sua habilidade inigualável e recursos técnicos infinitos:

Cartão de visitas - Grêmio (1996)

Ainda no juvenil do Grêmio, com 16 anos de idade, Ronaldinho emplacou essa pintura do vídeo: deixou cinco marcadores na saudade e encobriu o goleiro adversário com um toque de classe, de canhota. Já era o 'Bruxinho' se apresentando ao mundo do futebol.

"Olha o que ele fez" - Seleção Brasileira (1999)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Eternizado pela narração inigualável de Galvão Bueno, o antológico gol de Ronaldinho contra a Venezuela, pela Copa América de 1999, é um dos mais lembrados quando falamos do camisa 10. Franzino, de cabeça raspada e com apenas 19 anos, o então camisa 21 dava mais um forte sinal de que seria um dos maiores. Era só esperar e assistir acontecer.

O gol do ano na França - PSG (2003)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A camisa do PSG foi a primeira que Ronaldinho vestiu em solo europeu, e até hoje o 'Bruxo' é lembrado como um dos maiores atletas que já passou pelo Parque dos Príncipes e pela Ligue 1. Em 2003, reta final de sua passagem pelo Paris, o craque anotou um gol memorável diante do Guingamp, queria acabaria sendo eleito como 'gol do ano' na França: arrancada, toque de classe para escapar do carrinho do primeiro marcador, gingada de corpo para deslocar o segundo e finalização encobrindo o goleiro rival. Genial.

Olá, LaLiga! - Barcelona (2003)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Estreia nunca é um negócio fácil, a não ser que seu nome seja Ronaldinho Gaúcho. Em 3 de setembro de 2003, o armador fazia sua primeira partida oficial com a camisa do Barcelona, no Camp Nou, e logo de cara emplacava isso aí que você assistiu no vídeo: arrancada espetacular ainda da intermediária defensiva, corte seco e petardo de fora da área. Um golaço para deixar todos os torcedores blaugranas empolgados com a contratação do campeão do mundo.

Madridistas de pé - Barcelona (2005)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Arrancar aplausos e reverências de torcedores adversários é algo que só os gênios são capazes de alcançar. Ronaldinho, com o seu doblete diante do Real Madrid em novembro de 2005, conseguiu fazer cair por terra o natural orgulho merengue quando se trata de Barcelona: os dois clubes são inimigos mortais mas, por alguns segundos, só restou aos madridistas a ovação de pé direcionada ao craque brasileiro.

R10 cala a Vila Belmiro - Flamengo (2011)

Um dos maiores jogos de todos os tempos do Brasileirão teve Ronaldinho como herói rubro-negro. Santos e Flamengo fizeram um duelo épico e memorável na Vila Belmiro, com Neymar dando show e anotando um gol antológico que lhe rendeu até prêmio Puskás.

Mas quem acabou sorrindo por último no embate de gerações foi o veterano camisa 10 da Gávea, autor de três gols, incluindo aquela cobrança de falta de gênio por baixo da barreira alvinegra. Um jogo inesquecível.

Vai pra onde, Lucas Silva? - Atlético-MG (2012)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O 'Bruxo' teve momentos espetaculares com a camisa do Galo, jogando muita bola especialmente em 2013, ano em que conduziu o clube à inédita conquista da Libertadores. Escolher um único lance ou momento do gênio pelo Alvinegro não foi fácil, definitivamente.

Mas gol em clássico tem peso 2, e se for golaço deixando dois marcadores rivais 'sem pai, nem mãe', o peso quadruplica. Coitado do Lucas Silva, deve estar procurando o Ronaldinho até hoje...

Faixa bônus - Coletânea 'Jogo Bonito'

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ronaldinho, Bruxo, Mago, Dinho... Craque, humano, campeão da América e do mundo.

Parabéns pelos 41 anos de idade e obrigada por ter feito o futebol mais feliz.