7 jogadores que amargaram empréstimos ou reserva por muito tempo até virarem titulares em seus clubes

Antonio Mota
·3 minuto de leitura

Criticado após o empate do Fluminense na estreia da Conmebol Libertadores, o goleiro Marcos Felipe foi um dos heróis do Tricolor das Laranjeiras na suada vitória por 2 a 1 contra o Santa Fé (COL), no Estádio Centenário Armênia, na noite da última quarta-feira (28), pela 2ª rodada do Grupo D. Cria de Xerém, o arqueiro mostrou personalidade para dar a volta por cima e mais uma vez expôs tranquilidade para lidar com um momento adverso.

Ligado ao profissional do Flu há muitas temporadas, Marcos amargou muito tempo na reserva e até foi emprestado ao Macaé antes de conseguir uma sequência maior no Tricolor. Aos 25 anos, o goleiro não pretende abrir mão dessa vaga. A seguir, veja uma lista de atletas que amargaram empréstimos ou reserva por muito tempo até virarem titulares em seus clubes.

1. Marcos Felipe (Fluminense)

Marcos Felipe demorou para se tornar titular do Fluminense. | Alexandre Schneider/Getty Images
Marcos Felipe demorou para se tornar titular do Fluminense. | Alexandre Schneider/Getty Images

Formado no Fluminense, Marcos Felipe começou a treinar no profissional do clube em 2013, mas só fez sua estreia em 2016 e só conseguiu espaço no final do ano passado. Após muitos anos na reserva e período de empréstimo no Macaé, o goleiro vive o seu melhor momento.

2. Reinaldo (São Paulo)

Reinaldo ralou muito para conquistar o seu espaço no São Paulo. | Pool/Getty Images
Reinaldo ralou muito para conquistar o seu espaço no São Paulo. | Pool/Getty Images

Contratado junto ao Penapolense, Reinaldo foi apresentado no São Paulo em junho de 2013. De lá para cá, o lateral-esquerdo passou por períodos no banco de reserva, empréstimos para Ponte Preta e Chapecoense e muitas dificuldades, mas deu a volta por cima e hoje é titular absoluto no Tricolor.

3. Raphael Veiga (Palmeiras)

Raphael Veiga cresceu muito no Palmeiras. | Alexandre Schneider/Getty Images
Raphael Veiga cresceu muito no Palmeiras. | Alexandre Schneider/Getty Images

Destaque do Campeonato Brasileiro de 2016 com a camisa do Coritiba, Raphael Veiga foi contratado pelo Palmeiras e desembarcou em São Paulo com muita moral em 2017. Porém, em um primeiro momento, o meia-atacante não se encaixou no Allianz Parque e foi encostado, tendo amargado um período como reserva e outro defendendo o Athletico-PR por empréstimo. Nos últimos meses, porém, ele conquistou Abel Ferreira e se consolidou no onze inicial.

4. Diego (Flamengo)

Diego foi um reserva de luxo durante muito tempo no Flamengo. | Buda Mendes/Getty Images
Diego foi um reserva de luxo durante muito tempo no Flamengo. | Buda Mendes/Getty Images

Revelado pelo Santos e com passagens por Porto, Juventus, Atlético de Madrid e outros clubes da Europa, Diego chegou ao Flamengo em 2016 para ser uma das estrelas do clube. O tempo passou e, após um longo período como titular, ele foi para o banco, ficando assim como um 12º jogador. Já no final do ano passado, com Rogério Ceni chegando ao Ninho do Urubu, o meio-campista retornou ao pelotão de largada do Rubro-Negro.

5. Felipe Alves (Fortaleza)

Felipe Alves precisou superar um ídolo no Fortaleza para se tornar titular. | STEPHAN EILERT/Getty Images
Felipe Alves precisou superar um ídolo no Fortaleza para se tornar titular. | STEPHAN EILERT/Getty Images

Após longos anos de parceria com Fernando Diniz e de passagem por vários clubes (Paulista, Vitória, Atlético Sorocaba, Audax, Athletico-PR etc.), Felipe Alves foi contratado pelo Fortaleza e esbarrou no paredão Marcelo Boeck. Ídolo no Leão do Pici, o goleiro era quase intocável. Porém, com muito trabalho e aval de Rogério Ceni, o “Homem de Gelo” conseguiu quebrar a resistência e hoje é parte vital na espinha dorsal do clube.

6. Andrey (Vasco)

Andrey ficou um longo período na reserva do Vasco. | Buda Mendes/Getty Images
Andrey ficou um longo período na reserva do Vasco. | Buda Mendes/Getty Images

Cria de São Januário, Andrey demorou um bom tempo para se consolidar no Vasco. Reserva entre 2018 e 2019, o volante superou barreiras, ganhou confiança e hoje é titular no Gigante da Colina. Aos 23 anos, ele convenceu e até negocia uma renovação contratual.

7. Claudinho (Red Bull Bragantino)

Claudinho ficou um tempo no banco na temporada passada. | Buda Mendes/Getty Images
Claudinho ficou um tempo no banco na temporada passada. | Buda Mendes/Getty Images

Principal figura do Red Bull Bragantino na conquista da Série B do Campeonato Brasileiro de 2019, Claudinho não começou a temporada passada tão bem e amargou um tempo no banco – mesmo com a torcida o pedindo como titular. A situação, porém, não desanimou o meia, que trabalhou muito e superou a fase ruim. Hoje, o Massa Bruta é Claudinho e companhia.