7 brigas memoráveis entre jogadores do mesmo time

Lucas Humberto
·4 minuto de leitura

Vale cartão? Neste domingo (25), Leeds e Manchester United empataram sem gols em jogo válido pela 33ª rodada da Premier League. O placar nem foi tão relevante assim, principalmente depois da confusão entre Harry Maguire e Fred. O zagueiro, irritado com o posicionamento do brasileiro, disparou: "idiota do c***'".

Utilizamos esta briga como gancho para relembrar outras situações parecidas no futebol. Confira.

1. Obina e Maurício (Palmeiras) - 2009

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O Palmeiras estava na briga pelo título de 2009 e viajou até Porto Alegre para enfrentar o Grêmio. Tudo desandou no intervalo quando Obina, queridinho da torcida na temporada, e o zagueiro Maurício começaram uma discussão que terminou com tapas, socos, xingamentos, expulsões, derrota e adeus ao Brasileirão. Ufa... deu pra ver as proporções da confusão, não é?

2. Hugo Lloris e Son Heung-min (Tottenham) - 2020

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Briga mesmo com vitória? Aparentemente sim. Na metade do primeiro tempo da partida entre Tottenham e Everton, vencida pelos Spurs por 1 a 0, na Premier League, o goleiro Lloris foi cobrar o atacante Son, que não gostou da abordagem do companheiro. Rolou empurrão e xingamentos disparados até fora das quatro linhas. Clima muito agradável para um segundo tempo, certo?

3. Djalminha e Renato Gaúcho (Flamengo) - 1993

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Não há cenário melhor para brigas históricas que um clássico. Flamengo e Fluminense se enfrentaram em 1993 e, logo no primeiro tempo, Renato Gaúcho balançou as redes duas vezes. Acontece que o Tricolor não se intimidou e virou a partida na segunda parcial. O autor dos dois gols, que mais tarde seria eternizado no comando do Grêmio, começou uma discussão acalorada com Djalminha. Empurrões e xingamentos à parte, a maior curiosidade foi quem separou: Marcelinho Carioca. Ele mesmo, que ficaria conhecido pelas próprias brigas anos mais tarde.

4. Carlos Tévez e Marquinhos (Corinthians) - 2005

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Tévez é conhecido no futebol pelo temperamento complicado. Essa briga, no entanto, não aconteceu durante partidas oficiais. O CT do Corinthians foi palco de uma confusão, no mínimo, esquisita. O argentino deu uma cotovelada em Marquinhos, que revidou imediatamente. Virou uma bagunça generalizada com socos, tapas, gritaria, xingamentos e eles precisaram ser separados pelos companheiros. Pouco tempo depois, o zagueiro saiu do time.

5. Diguinho e Wellington Silva (Fluminense) - 2014

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Pelo visto muita acontece acontece nos treinamentos, além da própria atividade em si. Em 2014, Diguinho deu uma entrada mais dura em Wellington Silva, que tentou revidar com um chute, mas não acertou ninguém. A confusão estava armada e resultou na interrupção do treinamento. Sobrou para Rafael Sóbis separar tudo.

6. Felipe Vizeu e Rhodolfo (Flamengo) - 2017

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Confusão em várias camadas? Temos! Ainda no primeiro tempo da partida entre Flamengo e Corinthians, em 2017, Felipe Vizeu e Rhodolfo protagonizaram uma briga que, com toda certeza, entrou na memória de confusões históricas do futebol brasileiro. Teve dedo em riste, soco, empurrão, cabeçada, provocação e ameaça. Tudo fica ainda mais estranho quando lembramos que os dois eram companheiros de time.

7. Romário e Andrei (Fluminense) - 2002

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O Fluminense estava mal das pernas no Brasileirão 2002. Durante uma partida contra o São Paulo, o clube das Laranjeiras foi goleado por 6 a 0. O Tricolor Paulista aproveitou uma falha do zagueiro Andrei para balançar as redes. No mesmo instante, Romário cruzou o campo para dar uma tapa no companheiro. Alguns anos depois, ele se desculpou pelo ocorrido. De qualquer maneira, a confusão foi memorável.