6 erros graves de arbitragem que teriam sido evitados com o uso do VAR

Fabio Utz
·3 minuto de leitura

Portugal só empatou com a Sérvia em 2 a 2, no último sábado (27), pelas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2022. A partida, no entanto, ficou marcada pelo erro grave de arbitragem que evitou a vitória lusitana: Cristiano Ronaldo foi às redes aos 47' do segundo tempo, gol que aparentemente o mundo inteiro viu, menos o juiz de campo e os auxiliares que atuaram no duelo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A bola visivelmente cruzou a linha antes de o zagueiro afastar, mas a ausência do VAR e da tecnologia da linha de gol impediu a festa. Abaixo, relembramos seis lances históricos que também teriam um destino diferente caso a arbitragem de vídeo estivesse em ação.

1. Gol de Maradona - Copa de 1986

Um dos lances mais famosos da história do futebol. Nas quartas de final do Mundial do México, Maradona fez um gol com a mão diante da Inglaterra. "La Mano de Dios", facilmente, seria identificada pelo VAR.

2. "Gol" de Lampard - Copa de 2010

O jogo era válido pelas oitavas de final e estava 2 a 1 em favor da Alemanha. Foi quando Lampard fez o gol de empate da Inglaterra, com a bola batendo no travessão, quicando dentro da meta e saindo. a arbitragem não viu, apesar de o lance ser escancarado.

3. Gol de Túlio - Copa América de 1995

O centroavante ajeitou com o braço para empatar jogo contra a Argentina, na semifinal do torneio, e levar a partida para os pênaltis. O Brasil acabaria se classificando.

4. Gol de Ruidíaz - Copa América de 2016

O Brasil sofreu do mesmo "erro" 21 anos depois do gol de Túlio. Dessa vez, porém, a eliminação ocorreu na primeira fase, com derrota por 1 a 0 para o Peru. O próprio atleta, logo em seguida, admitiu que fez o gol com a mão.

5. Coreia do Sul x Itália - Copa de 2002

Em jogo das oitavas de final do Mundial, já na prorrogação, o juiz equatoriano Byron Moreno virou protagonista. Primeiro ao expulsar o italiano Totti por simulação, em um lance que, para muitos, foi pênalti claro. Na sequência, Tommasi arrancou para driblar o goleiro rival e garantir a classificação italiana, mas um impedimento inexistente foi assinalado. Os coreanos avançariam.

6. "Pênalti" sobre Tinga - Brasileirão de 2005

Não poderia faltar um dos lances mais comentados dos últimos tempos no futebol nacional. Em um campeonato manchado por arbitragens corruptas e anulações de jogos, Corinthians e Internacional faziam, no Pacaembu, um duelo direto pelo título.

A partida estava empatada em 1 a 1 quando Tinga foi derrubado por Fábio Costa dentro da área. Márcio Resende de Freitas não marcou o pênalti e ainda deu o segundo amarelo (e o vermelho, por consequência) para o meio-campista colorado. O Timão seria o campeão nacional naquele ano, mas uma vitória colorada naquele jogo mudaria o cenário.