6 conselhos que Warren Buffett deu sobre o mercado de ações durante reunião com acionistas

Yahoo Finanças
Foto: AP
Foto: AP


por Melissa Santos

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio


O bilionário de 89 anos e CEO da Berkshire Hathaway, Warren Buffett, se reúne anualmente em Omaha, no Nebraska, para se encontrar com os acionistas do conglomerado. O evento, também conhecido como "Woodstock do Capitalismo", é acompanhado de perto por todos os investidores e economistas que tem a oportunidade de ouvir previsões e tendências econômicas do próprio “Oráculo de Omaha”, como é apelidado Warren.

Este ano, por conta da pandemia do coronavírus, a famosa reunião anual de acionistas não pode ser realizada presencialmente. No entanto, Buffett fez questão de manter a reunião e realizar uma transmissão online para todo o mundo, realizada com exclusividade pelo Yahoo Finanças. 

Durante a reunião, Buffett abordou os resultados do primeiro trimestre do conglomerado, mas também não deixou de lado sua opinião sobre o impacto do coronavírus na economia e as dicas para os investidores do mercado financeiro. Abaixo, confira seis conselhos que ele deu durante o evento: 

  • Acredite nas ações e nos EUA

Buffett declarou que sempre acreditou nos EUA e a pandemia do coronavírus não mudou sua opinião a respeito da capacidade de recuperação do país no futuro.  Durante a reunião, ele deu uma aula de história sobre a nação, apontando para os desafios enfrentados no passado e a maneira como o país superou as adversidades. 

De acordo com o “Oráculo de Omaha”, para cada dólar investido quando terminou a faculdade na década de 1950, o mercado de ações produziu US$ 100. ″Tudo que você tinha a fazer era acreditar na América. Você só tinha que acreditar que o milagre americano estava intacto”, disse.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

"Não sei o que vai acontecer com o mercado amanhã, na próxima semana, no próximo mês, no próximo ano. Sei que os Estados Unidos avançarão com o tempo, mas não sei ao certo quando”, destaca. Mas Buffett acredita que os Estados Unidos em 2020 estão em melhor forma do que em qualquer outro momento de sua história e os investidores que confiarem dinheiro em ações a longo prazo agora serão amplamente recompensados.


Leia mais sobre Warren Buffett

  • Aposte nos fundos

Buffett afirmou que uma boa maneira de participar da ascensão gradual do mercado de ações ao longo do tempo é investir em um fundo de índice S&P 500 -- –índice das maiores (em termos de valor) empresas americanas cotadas em bolsa. Com baixas despesas, esses fundos são compostos por empresas de diferentes segmentos e podem dar aos investidores exposição a uma ampla faixa de negócios que foram responsáveis ​​pelo sucesso econômico dos Estados Unidos ao longo das décadas.

De fato, investir em um fundo de índice não é apenas uma aposta no sucesso da América. Com tantas empresas multinacionais no S&P 500, os fundos dão propriedade das empresas que estão obtendo sucesso em todo o mundo. No Brasil, índices como o IVVB11, que replica o S&P 500, e o BOVA11, principal índice de ações da bolsa brasileira, são algumas opções de fundos semelhantes. 

  • Não faça operações com alavancagem 

Mesmo apostando na recuperação do mercado de ações, Buffett destacou que as pessoas não devem pedir dinheiro emprestado, também conhecido como alavancagem, para investir na bolsa, dada a incerteza em torno da pandemia de coronavírus. 

"Quando algo como a pandemia atual acontece, é difícil avaliar isso. Na minha opinião é por isso que você não deve usar dinheiro emprestado em seus investimentos”, destaca. 

  • Não pague por conselhos financeiros de que não precisa

Uma outra razão pela qual Buffett aconselha os fundos de índice é que eles são baratos. Segundo o CEO da Berkshire Hathaway, muitas pessoas pagam por aconselhamento financeiro e o desempenho que a maioria dos consultores financeiros é capaz de alcançar não é boa o suficiente. 

  • Prefira ações a títulos do Tesouro Direto 

Outra razão pela qual Buffett gosta de ações no momento é que as alternativas disponíveis no mercado não são muito boas. Os títulos do Tesouro dos EUA com vencimentos em 30 anos rendem apenas 1,25%. 

Investir em meio à crescente incerteza pode ser difícil, mas Buffett explicou que, a longo prazo, as ações ainda serão um investimento melhor do que o Tesouro Direto. “As ações vão trazer mais resultados do que os títulos do tesouro de 30 anos, que rendem 1,25% agora. O desempenho das ações superará as letras do tesouro. Vai superar o dinheiro que você colocou debaixo do colchão, ou seja, é um investimento enormemente sólido. Desde que seja um investimento e não uma aposta”, acrescentou.

  • Não invista nas ações de companhia aérea 

Durante a reunião, Buffett revelou que o conglomerado vendeu todas as ações de empresas do setor de aviação dos EUA (link da matéria que enviei por e-mail). "Quando compramos [companhias aéreas], recebíamos uma quantia atraente pelo nosso dinheiro ao investir nas companhias aéreas. Aconteceu que eu estava errado sobre esse negócio por causa de algo que não foi de forma alguma culpa de quatro excelentes CEOs”, afirmou o “Oráculo de Omaha”.

No ano passado, as cias aéreas registraram seu 10º ano consecutivo de lucros e estavam se preparando para um crescimento ainda maior da demanda de viagens no início deste ano, justamente quando o COVID-19 começou a se espalhar. “O mundo mudou para as companhias aéreas. E não sei de que maneira, mas espero que se recuperem razoavelmente rápido. Não sei se agora os americanos mudaram seus hábitos ou mudarão por causa desse período prolongado. Infelizmente, a indústria aérea, entre outras, é realmente prejudicada por uma paralisação forçada por eventos que estão muito além do nosso controle", fala. 



Leia também