6 comédias românticas extremamente problemáticas que talvez você ame

Rafael Monteiro
·3 minuto de leitura
"Amor é Cego", "Simplesmente Amor" e "A Verdade Nua e Crua": você já parou para pensar em alguns aspectos destes filmes? (Reprodução)
"Amor é Cego", "Simplesmente Amor" e "A Verdade Nua e Crua": você já parou para pensar em alguns aspectos destes filmes? (Reprodução)

Quem não gosta de ver um filme levinho, descompromissado, apenas para passar o tempo? As comédias românticas se encaixam perfeitamente nesta categoria. O problema surge quando nos espalhamos no sofá para relaxar e nos deparamos com tramas extremamente problemáticas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Para além da questão do "amor romântico" (que gera discussão por si só), muitos longas consagrados do gênero extrapolam com sacadas machistas, gordofóbicas e homofóbicas. Citamos alguns exemplos notórios abaixo:

Leia também

Simplesmente Amor

Comédia romântica estrelada por Hugh Grant, temática natalina... É difícil não se seduzir por "Simplesmente Amor". O problema é que o filme envelheceu muito, muito mal. Alguns exemplos: a relação do personagem de Colin Firth com a governanta portuguesa conta apenas com duas frases dela (mais mulher-objeto do que isso, impossível), Bill Nighy faz piadas homofóbicas a todo instante e ainda há um caso de assédio em que a vítima é transferida do seu posto de trabalho (o que é crime, mas no longa é tratado como algo corriqueiro). Tente ver o longa hoje em dia e se assuste como nenhum problema é contextualizado, com a justificativa que o amor sorri para todos. Mas todo mundo se lembra apenas da cena dos cartazes...

Amor A Toda Prova

O filme conta com um ótimo elenco e ainda hoje consegue divertir numa revisita. Uma cena, porém, praticamente coloca tudo a perder: Jessica, personagem de Analeigh Tipton, manda nudes da pré-adolescente de quem ela era babá como presente de formatura para um aluno do oitavo ano. Pedofilia sendo tratada com normalidade.

A Verdade Nua e Crua

O personagem de Gerard Butler dispara todo tipo de declaração machista durante o filme. Apostando na união bizarra entre um misógino e uma feminista (lembrando sempre: machismo e feminismo não são opostos), o longa relativiza falas grotescas do personagem, como a vista abaixo. Acredite: o discurso de "final feliz" da obra diz que as mulheres querem homens ricos e bonitos. Sem defesa.

Diário de uma Paixão

Um dos filmes românticos mais queridos dos últimos anos, a história de amor entre Noah (Ryan Gosling) e Allie (Rachel McAdams) seria perfeita se não tivesse uma cena tão grotesca e irresponsável como a que ele ameaça se matar após ser rejeitado. Não tem nada de romântico ou bonito nisso.

De Repente 30

Filmes com mudanças repentinas de idade são divertidos, porém alguns limites precisam ser respeitados. Quando a versão mais velha da protagonista Jenna dá em cima de um pré-adolescente, nós entendemos que trata-se de uma fala da fala da Jenna de 13 anos. Ainda assim, contudo, a cena não deixa de ser muito desconfortável....

O Amor É Cego

Nós também adoramos Jack Black. Só não dá para aliviar o fato que a comédia romântica estrelada por ele e Gwyneth Paltrow é imperdoável. Por mais que o filme se venda como uma história de amor além das aparências, quase todas as piadas da trama fazem troça das mulheres gordas. A obra é tão problemática que a própria Paltrow se arrepende de ter aceito o convite para estrelá-la: “Foi um desastre. O primeiro dia que experimentei a ‘roupa de gorda’, eu estava em um hotel e ninguém fez contato visual comigo pelo fato de eu parecer obesa”, disse ela à Netflix.

Ouça o Pod Assistir, o podcast de filmes e séries do Yahoo:

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube