5 técnicos estrangeiros que não deixaram saudades no futebol brasileiro

Pedro José Domingues
·3 minuto de leitura

A "moda" do técnico estrangeiro no futebol brasileiro está nos "trending topics" do momento. Isso porque é notória a decadência de formação de técnicos brasileiros, resultando inclusive em um altíssimo número de demissões por ano.

Recentemente, um estudo divulgado pela Universidade do Futebol mostrou que o Brasil é líder isolado nesse aspecto. E vice-líder também. As demissões com pouquíssimo tempo de trabalho dos treinadores se tornou cada vez mais cotidianas. Para saber mais desse estudo, clique aqui.

Por mais que essa verdade seja difícil de engolir para os treinadores brasileiros, é notório o sucesso dos estrangeiros no país. Porém, esse sucesso nem sempre esteve aqui no futebol brasileiro. De diversas tentativas no passado, algumas se destacam negativamente.

Com isso, separamos uma lista de cinco estrangeiros que não deixaram saudades no nosso futebol. Confira:

*Sem ordem de relevância e/ou qualidade.

5. Reinaldo Rueda - Flamengo (2017)

FBL-SUDAMERICANA-FLUMINENSE-FLAMENGO | AFP Contributor/Getty Images
FBL-SUDAMERICANA-FLUMINENSE-FLAMENGO | AFP Contributor/Getty Images

Após grande temporada no Atlético Nacional-COL, o técnico colombiano Reinaldo Rueda chegou com moral ao Flamengo, após de ter vencido a Libertadores com seu ex-time. No entanto, comandou a equipe apenas em 31 partidas e com um aproveitamento de quase 50%.

Rueda ficou marcado no comando técnico rubro-negro por ter perdido duas finais. Foi vice na Copa do Brasil, para o Cruzeiro, e na Sul-Americana, para o Independiente-ARG. No meio de seu contrato, aceitou uma proposta da seleção chilena, onde está até hoje.

4. Lothar Matthaus - Athletico Paranaense (2006)

Former member of the German football tea | ORLANDO KISSNER/Getty Images
Former member of the German football tea | ORLANDO KISSNER/Getty Images

Um dos maiores nomes da história do futebol alemão, o ex-jogador Lothar Matthaus teve curta e curiosa passagem pelo Athletico. No comando da equipe, foram 8 jogos no total, e invicto - seis vitórias e dois empates.

Porém, embarcou em um avião e rumou de volta para a Alemanha, sem avisar ninguém. Para saber mais detalhes dessa curiosa história de Matthaus, campeão da Copa do Mundo de 1990 com a Alemanha, clique aqui.

3. Edgardo Bauza - São Paulo (2016)

Sao Paulo v River Plate - Copa Libertadores 2016 | Brazil Photo Press/Getty Images
Sao Paulo v River Plate - Copa Libertadores 2016 | Brazil Photo Press/Getty Images

O argentino Edgardo Bauza oscilou bastante no comando técnico do São Paulo. Ao todo, foram 48 partidas, 17 vitórias, 18 derrotas e 13 empates, números que nem perto atingiram as expectativas do torcedor.

Em má fase no tricolor, aceitou uma proposta da seleção argentina. Atualmente, "El Patón" está sem clube.

2. Paulo Bento - Cruzeiro (2016)

Cruzeiro v Flamengo - Brasileirao Series A 2016 | Pedro Vilela/Getty Images
Cruzeiro v Flamengo - Brasileirao Series A 2016 | Pedro Vilela/Getty Images

Ex-técnico da seleção de Portugal, o português Paulo Bento foi um fracasso no futebol brasileiro. Em apenas 17 jogos no comando do Cruzeiro, venceu seis vezes, perdeu oito e empatou três partidas. Não satisfeito, ainda colocou a Raposa na penúltima colocação do Brasileirão.

Atualmente, é treinador da seleção da Coréia do Sul.

1. Ricardo Gareca - Palmeiras (2014)

Palmeiras v Internacional - Brasileirao Series A 2014 | Friedemann Vogel/Getty Images
Palmeiras v Internacional - Brasileirao Series A 2014 | Friedemann Vogel/Getty Images

Gareca não deu sorte de pegar um Palmeiras bem estruturado, como é hoje. No comando técnico do Verdão, conseguiu o incrível número de 33% de aproveitamento em 14 partidas. Com isso, foi demitido com apenas quatro meses desde sua apresentação.

Seu desempenho no Palmeiras está entre um dos piores do clube no século XXI. Atualmente, vem fazendo um ótimo trabalho com a seleção peruana desde sua saída do Palmeiras. Em 2019, foi vice-campeão da Copa América com os peruanos.