5 partidas de futebol que acabaram virando caso de polícia

·2 minuto de leitura

O Atlético-MG eliminou o Boca Juniors nos pênaltis, no Mineirão, na noite da última terça-feira (20), nas oitavas de final da Conmebol Libertadores de 2021. Após o apito final em Belo Horizonte, os Xeneizes não “souberam perder” e protagonizaram uma verdadeira confusão, com direito a muito empurra-empurra e tentativa de invasão ao vestiário do Galo. No fim das contas, após muitas reclamações, xingamentos e quebra-quebra, a Polícia levou toda a delegação hermana para a delegacia.

Com esse ganho, confira 5 partidas de futebol que acabaram virando caso de polícia.

1. Atlético-MG x Boca Juniors

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Guerra na Libertadores! O Boca Juniors não aceitou a eliminação para o Atlético-MG e provocou uma grande batalha no Mineirão. Após destruírem locais do estádio e brigarem com seguranças e polícias, os Xeneizes foram autuados e encaminhados à delegacia.

2. Águia Negra x Aquidauanense

O que foi isso? Os jogadores de Aquidauanense e Águia Negra roubaram a cena na 10ª rodada do Campeonato Sul-Mato-Grossense deste ano. A partida rolou normalmente até os 26 minutos do segundo tempo, quando um jogador do Aquidauanense se desentendeu com o treinador do Águia. Resultado: confusão generalizada, tiro de borracha e um jogador, chamado Virgulino, detido por desacato.

3. São Paulo x Quilmes

Desábato foi preso em campo por ato racista contra Grafite em São Paulo x Quilmes. | JEFFERSON BERNARDES/Getty Images
Desábato foi preso em campo por ato racista contra Grafite em São Paulo x Quilmes. | JEFFERSON BERNARDES/Getty Images

O São Paulo recebeu o Quilmes, da Argentina, no Morumbi, em partida válida pela Conmebol Libertadores de 2005. Naquela oportunidade, o zagueiro Leandro Desábato proferiu ofensas racistas contra Grafite e foi preso em campo. O caso repercutiu em todo o mundo.

4. Sapucaiense x Farroupilha

A bola não rolou muito tempo no confronto entre Sapucaiense e Farroupilha, válido pela 2ª Divisão do Campeonato Gaúcho de 2017. Aos 15 minutos da segunda etapa, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul entrou em campo e prendeu o atacante Marlon Natanael, do time de Sapucaia do Sul, que estava no banco de reservas. Ele foi detido acusado de sequestro e extorsão mediante sequestro.

5. América-RN x Potiguar de Mossoró

Ivo foi preso em campo. | ALEXANDRE SCHNEIDER/Getty Images
Ivo foi preso em campo. | ALEXANDRE SCHNEIDER/Getty Images

Mais um caso de racismo. O zagueiro Ivo André de Almeida, então no América-RN, foi preso na final do 2º Turno do Campeonato Potiguar de 2008 acusado de ter chamado um policial militar de “macaco”. O ato racista aconteceu na reta final do primeiro tempo da decisão, que acabou com uma vitória por 3 x 2 do América contra o Potiguar de Mossoró.

“O jogador fez o xingamento no decorrer da partida, mas correu para o meio do campo e os policiais preferiram não atrapalhar o andamento do evento. Mas ele ia ser preso de qualquer jeito, estávamos esperando o intervalo ou o final da partida. Quando ele foi expulso, aproveitamos para detê-lo”, relatou o delegado Caetano na oportunidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos