5 jogos históricos no Maracanã que não envolveram clubes cariocas

Nathalia Almeida
·4 minuto de leitura

Estádio mais tradicional do futebol mundial, palco de partidas memoráveis, segunda casa de todo (ou quase todo) torcedor carioca: o Maracanã respira história e, no próximo sábado (30), testemunhará mais um belo capítulo sendo escrito em seus gramados.

Pela primeira vez em mais de 60 anos de competição, uma equipe brasileira erguerá o troféu de campeão da Conmebol Libertadores no estádio. Quis o destino que a finalíssima em pleno Rio de Janeiro fosse entre dois gigantes paulistas, algo também inédito na história do torneio continental.

Para entrar no clima deste grande jogo, separamos 5 partidas inesquecíveis que o Maracanã já sediou, mas que não envolveram nenhum clube carioca. Confira:

Brasil x Uruguai - 1950

Swedish goalkeeper Kalle Svensson dives | STAFF/Getty Images
Swedish goalkeeper Kalle Svensson dives | STAFF/Getty Images

É, até os dias de hoje, o maior jogo da história do estádio carioca. E é, até os dias de hoje, uma das memórias mais melancólicas e dolorosas para o povo brasileiro. Franca favorita ao título mundial em casa, a Canarinho fez uma grande campanha e chegou à decisão com pompas, mas acabou sendo surpreendida pela brava e corajosa Celeste Olímpica de Obdulio Varela, Ghiggia e Schiaffino. Uma derrota inesperada e que emudeceu mais de 200 mil vozes no recém-inaugurado Maracanã.

Santos 3 x 2 Boca Juniors - 1963

Por incrível que pareça, jogar uma final de Libertadores no Maracanã não será algo inédito para o Santos. Há 57 anos, a lendária equipe de Pelé, Coutinho, Dorval e Pepe, mandou o jogo de ida da decisão contra o Boca Juniors no estádio carioca. O Peixe saiu de campo vitorioso por 3 a 2, carregando uma importante vantagem para a Argentina.

Uma semana depois, venceu também em La Bombonera (2 a 1) e sagrou-se campeão da América.

Brasil 1 (5) x (4) 1 Alemanha - 2016

Brazil v Germany - Final: Men's Football - Olympics: Day 15 | Laurence Griffiths/Getty Images
Brazil v Germany - Final: Men's Football - Olympics: Day 15 | Laurence Griffiths/Getty Images

O país do futebol chegava às Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, sem jamais ter conquistado um ouro olímpico na modalidade. Diversas gerações consideradas altamente talentosas ficaram pelo caminho edição após edição, aumentando a frustração da Seleção Brasileira nessa caminhada que parecia 'eterna' em busca da conquista inédita.

Mas a redenção veio com um enredo pra lá de especial: em um Maracanã abarrotado, a Canarinho de Neymar superou a Alemanha nos pênaltis - justamente sua algoz na Copa de dois anos antes -, faturando a primeira medalha de ouro do futebol em sua história.

Santos 1 x 0 Milan - 1963

Sim, mais uma vez o Santos de Pelé fazendo história no Maracanã. Não surpreende, tendo em vista que, nos anos 50 e 60, era 'normal' que grandes clubes de outros estados utilizassem o estádio carioca para finais continentais ou para decisões em 'campo neutro'.

Na Copa Intercontinental de 1963, o Peixe saiu de um buraco IMENSO para ser campeão mundial diante do histórico Milan de Trapattoni, Amarildo e Mazzola: derrotado na Itália por 4 a 2, o time brasileiro perdia a segunda partida por 2 a 0 no Maracanã, mas buscou uma virada histórica e devolveu o mesmo 4 a 2, obrigando a disputa de um terceiro jogo.

Na partida derradeira também disputada no Maracanã, a equipe de Lula venceu por 1 a 0 graças a um gol de pênalti de Dalmo. Uma das maiores reviravoltas da história do futebol brasileiro, culminando no bicampeonato mundial do Santos.

Brasil 5 x 0 Estados Unidos - 2007

USA v Brazil | Harry How/Getty Images
USA v Brazil | Harry How/Getty Images

Fechamos essa pequena lista com uma partida inesquecível para o futebol feminino brasileiro, quando Marta, Cristiane, Formiga e companhia, colocaram a forte seleção dos Estados Unidos na roda e conquistaram o ouro pan-americano em casa.

O Maracanã estava cheio para ver as meninas do Brasil atuando, uma imagem marcante para todos os fãs da modalidade: se hoje as meninas ainda convivem com um abismo de realidade em relação ao futebol masculino, a diferença em 2007 era ainda maior.

Mesmo assim, aquela 'geração de ouro' entrou para a história do esporte, com a prata olímpica, o ouro pan-americano em casa e o vice-campeonato mundial.