5 jogadores que podem se despedir de seus clubes sem ter encontrado a torcida no estádio

Antonio Mota
·2 minuto de leitura

A pandemia do novo coronavírus afetou o mundo inteiro e obrigou o futebol, assim como praticamente todos os outros setores, áreas etc., a se adaptar. Com o vírus assolando o planeta, o esporte precisou parar, se reorganizar e voltar da forma mais segura possível, com novas medidas e protocolos de segurança. E uma das medidas foi justamente fechar os portões dos estádios, ou seja, futebol sem torcida.

E, no meio do retorno do futebol, crises financeiros, medo e Covid-19, os clubes fizeram contratações. Algumas deram certo e outras não..., mas será que algum desses reforços vai deixar mudar novamente de ares sem sequer ver a torcida? Confira.

1. Maílton (Coritiba)

Anunciado no final do ano passado, o lateral-direito Maílton, que pertence ao Atlético-MG, mas atua por empréstimo no Coritiba, deve deixar o Paraná sem sequer ter visto a Massa Alviverde. Ele tem contrato com o Coxa apenas até o final do Brasileirão – fevereiro.

2. Robinho (Grêmio)

À disposição do mercado, Robinho assinou com o Grêmio em agosto do ano passado um contrato com validade até o final da temporada – fevereiro de 2021. Sem agradar, o meia deve deixar Porto Alegre sem deixar saudades.

3. Shaylon (Goiás)

Outro que também chegou no final do ano passado e tem contratado de empréstimo apenas até o término do Brasileirão: Shaylon. O meia-atacante do São Paulo, que atua no Goiás, deve mudar de ares na próxima temporada, saindo assim sem ter visto a torcida do Verdão.

4. José Welison (Botafogo)

Contratado junto ao Galo em outubro do ano passado, José Welison tem contrato de empréstimo com o Botafogo apenas até o final do Campeonato Carioca de 2021. Vai deixar saudades, Nação Alvinegra?

5. Jemerson (Corinthians)

Jemerson desembarcou em São Paulo em novembro do ano passado e chegou para assumir uma vaga de titular na zaga, o que aconteceu, mas ele se machucou. De todo modo, ele tem vínculo com o Corinthians apenas até o meio do ano e ainda não há certezas sobre sua renovação.