5 jogadores do Fluminense que precisarão elevar o nível para seguirem como titulares

Nathalia Almeida
·3 minuto de leitura

O Fluminense está classificado à fase de grupos da Conmebol Libertadores mas, por conta de suas dificuldades financeiras, ainda não fez contratações de impacto para a nova temporada. O técnico Roger Machado recebeu reforços bem pontuais como o lateral-direito Samuel Xavier, e nomes de peso como Willian Bigode e Roger Guedes, até aqui, ficaram só no imaginário do torcedor.

A ausência de reforços, no entanto, não deveria gerar uma 'acomodação' dos titulares tricolores: há uma garotada boa de bola oriunda da base que deixou ótima impressão nos primeiros jogos da temporada. Por isso, listamos 5 jogadores do Fluminense que precisarão elevar o nível em 2021, ou estarão ameaçados de perder seu posto no XI inicial tricolor:

1. Luiz Henrique

Luiz Henrique tem qualidade, mas ainda se afoba demais | Bruna Prado/Getty Images
Luiz Henrique tem qualidade, mas ainda se afoba demais | Bruna Prado/Getty Images

O jovem atacante de 20 anos tem velocidade e é muito promissor, mas precisa aprimorar a tomada de decisão: ainda se afoba demais na conclusão das jogadas e, por vezes, acaba desperdiçando boas chances no ataque.

Com Matheus Martins, Kayke, Samuel e outros garotos despontando e mostrando serviço, sua titularidade corre risco.

2. Lucca

Atacante não conta com grande prestígio junto ao torcedor | Bruna Prado/Getty Images
Atacante não conta com grande prestígio junto ao torcedor | Bruna Prado/Getty Images

O experiente Lucca fez alguns gols importantes na reta final do Brasileirão passado, mas nada que mudasse o olhar desconfiado das arquibancadas sobre seu futebol.

É esforçado, mas tem limitações técnicas claras em seu jogo. Com a garotada tricolor pedindo passagem, é mais um que precisa mostrar mais futebol para seguir no XI tricolor.

3. Michel Araújo

Uruguaio ainda oscila demais | Bruna Prado/Getty Images
Uruguaio ainda oscila demais | Bruna Prado/Getty Images

O meia uruguaio é um bom jogador, mas oscila demais: por vezes está 'ligado no 220' e muda a dinâmica do meio-campo tricolor, mas tem dias que parece acordar com o pé esquerdo e deixa muito a desejar.

Essa inconstância pode ameaçar sua posição no time, já que o Tricolor conta com jovens meias de qualidade no elenco: Miguel e Gabriel Teixeira, por exemplo, podem fazer esse papel.

4. Hudson

Volante retornou ao Fluminense para mais um ano de empréstimo | Pedro Vilela/Getty Images
Volante retornou ao Fluminense para mais um ano de empréstimo | Pedro Vilela/Getty Images

O veterano perdeu a titularidade na reta final do Brasileirão passado, mas tem esse status meio 'híbrido' nas Laranjeiras, por ser adorado pela diretoria e ter a confiança da comissão técnica.

Por futebol jogado, Hudson deveria estar atrás de Martinelli e Yago Felipe na hierarquia da posição. Precisará mostrar mais futebol se quiser retomar sua condição de intocável do início da temporada 2020.

5. Egídio

Egídio não é unanimidade entre torcedores | Buda Mendes/Getty Images
Egídio não é unanimidade entre torcedores | Buda Mendes/Getty Images

A lateral-esquerda é uma posição que preocupa muito o torcedor do Fluminense, pois titular (Egídio) e reserva imediato (Barcelos) deixam a desejar defensivamente e não são exímios apoiadores. Egídio tem mais qualidade e rodagem que Barcelos, mas deixa muitos espaços atrás e isso já gerou inúmeros problemas ao time.

Jefté, garoto da base, já mostrou ser uma alternativa viável e interessante, mas deveria ter ganho mais minutos e rodagem no Carioca.