5 jogadores brasileiros que viraram estrelas, mas tiveram quedas bruscas na carreira

·2 minuto de leitura

Manter-se bem na Europa é um importante teste de alto nível aos grandes jogadores do mundo. Os brasileiros, obviamente, não estão imunes ao parâmetro futebolístico do Velho Continente. Ao longo dos anos, diversos atletas nascidos no Brasil tiveram uma rápida ascensão no exterior, mas não conseguiram se manter no topo pelas mais variadas razões. Aqui vão cinco exemplos.

1. Adriano

Imperador viveu o auge da sua carreira na Inter de Milão | DAMIEN MEYER/Getty Images
Imperador viveu o auge da sua carreira na Inter de Milão | DAMIEN MEYER/Getty Images

O 'Imperador' teve anos sólidos dentro das quatro linhas, mas viu sua carreira desandar em razão da depressão causada pela morte do pai. Até hoje, muitos torcedores acreditam que Adriano poderia ter se tornado um dos melhores atacantes da história, sobretudo na Inter de Milão, onde brilhou como poucos.

2. Maicon

Lateral-direito se envolveu em polêmica próximo ao Mundial de 2014 | Emilio Andreoli/Getty Images
Lateral-direito se envolveu em polêmica próximo ao Mundial de 2014 | Emilio Andreoli/Getty Images

Colocar Daniel Alves no banco não é tarefa fácil. Maicon conseguiu. Considerado o melhor lateral-direito do mundo há alguns anos, o brasileiro não se manteve no topo devido a problemas disciplinares. Assim como Adriano, ele viveu o auge da sua carreira na Inter de Milão. Atualmente está no Tre Penne, de San Marino.

3. Cicinho

Problemas com álcool frearam a carreira de Cicinho | Etsuo Hara/Getty Images
Problemas com álcool frearam a carreira de Cicinho | Etsuo Hara/Getty Images

Tendo um início promissor na Europa, Cicinho rapidamente chamou atenção do Real Madrid. Quando parecia que o lateral-direito brasileiro teria anos de regularidade pela frente, os problemas de alcoolismo e depressão frearam seu melhor nível nos gramados do Velho Continente.

4. Luís Fabiano

Centroavante acumulou bons números no Sevilla | Denis Doyle/Getty Images
Centroavante acumulou bons números no Sevilla | Denis Doyle/Getty Images

Herdar a camisa 9 da seleção brasileira não é um feito qualquer. Luís Fabiano conseguiu chegar lá, mas nunca encontrou novamente a regularidade dos anos iniciais no futebol. Depois da estrelada passagem no Sevilla, da Espanha, o centroavante foi, aos poucos, se distanciando do topo.

5. Diego Ribas

Diego Ribas em ação no Atlético de Madrid | Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images
Diego Ribas em ação no Atlético de Madrid | Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images

Ponto polêmico desta lista! Atualmente no Flamengo, o Menino da Vila da geração de 2002 rumou ao exterior para brilhar, assim como alguns dos representantes daquele memorável Santos. Com passagens frutíferas na Alemanha, Portugal, Turquia e Espanha, o meio-campista de 36 anos ainda poderia estar brilhando no Velho Continente, se tivesse tido mais regularidade na hora certa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos