5 curiosidades sobre Son, o ídolo 'mascarado' da Coreia do Sul

Son Heung-Min antes de jogo contra o Uruguai na Copa do Mundo do Catar. Foto: Visionhaus/Getty Images
Son Heung-Min antes de jogo contra o Uruguai na Copa do Mundo do Catar. Foto: Visionhaus/Getty Images

O atacante do Tottenham e da seleção sul-coreana, Son Heung-Min, é uma das estrelas da Copa do Mundo e destaque da Premier League, o campeonato mais rico do futebol mundial.

No início desse mês, Son assustou os torcedores coreanos ao sofrer uma fratura no rosto durante partida válida pela Liga dos Campeões. Ele precisou passar por uma cirurgia e chegou a ser dúvida para a estreia da Coreia do Sul no Catar.

Utilizando uma máscara de proteção, "Sonny" — apelido carinhoso dado pelos compatriotas — entrou em campo contra o Uruguai, mas não parecia muito a vontade com o adereço. O jogo ficou empatado em zero a zero, sem muitos lances de emoção de ambos os lados.

Em contraste ao fraco futebol, a animação da torcida coreana em ver seu maior craque recuperado para a Copa do Mundo foi o ponto alto da partida. Diversos torcedores usavam máscaras para emular o "estilo" do ídolo, e muitas faixas de apoio ao atacante eram vistas por todo estádio.

Leia também:

INÍCIO NO FUTEBOL

Essa idolatria à Son tem explicação. Em sua terceira Copa do Mundo, o atacante chega como maior nome do país no esporte, criando uma nova onda de interesse do público coreano no futebol. Para chegar até aqui, ele precisou deixar o país muito cedo em busca das ligas europeias, mais competitivas.

Treinado desde criança pelo pai, um ex-jogador de futebol que teve a carreira interrompida por lesões, Son deixou a Coreia aos 16 anos em um programa de intercâmbio da Federação Coreana e foi para a Alemanha.

No país, se profissionalizou no Hamburgo, antes de se transferir para o Bayer Leverkusen. Em 2015 foi para o Tottenham, onde ganhou a chuteira de ouro da edição 2021/2022 da Premier League e ajudou o time a chegar a uma final de Champions League.

Torcedores coreanos com cartaz com os dizeres
Torcedores coreanos com cartaz com os dizeres "You are my SONshine", um trocadilho com "You are my sunshine" ("Você é meu raio de sol"). Foto: Chris Brunskill/Fantasista/Getty Images

Idolatria

Jogador asiático mais caro da história, Son é estrela de diversas marcas e propagandas, em especial na Coreia do Sul, onde vende desde sorvetes até relógios de luxo. Por onde se anda nas ruas de Seul, é possível ver fotos do jogador, que fatura 16 milhões de dólares por ano com publicidade.

O Tottenham criou contas em redes sociais em coreano, para abastecer os torcedores ávidos por conteúdo do atacante, e lançou até vídeos do jogador ensinando seus companheiros de equipe a falar coreano.

Vida pessoal

A vida pessoal do atacante é sempre assunto na mídia coreana. Mais de uma celebridade local já foi especulada como namorada de Son, que nunca assumiu nenhuma relação. Ele garante que só irá se casar após sua aposentadoria do futebol, para poder se concentrar na família.

Caridade

Son frequentemente faz doações para causas importantes em seu país de origem. Ajudou quando a Coreia sofreu com incêndios florestais que afetaram cerca de 400 residências, contribuiu para os esforços contra o novo coronavírus e ainda investe em um centro de futebol que atende crianças, provendo educação, alimentação e atendimento médico. Em 2022 o atleta também se tornou Embaixador da Boa Vontade da ONU na luta contra a fome.

Esperança de gols

Son é a maior esperança da Coreia do Sul para que o país volte à realizar uma boa campanha em Copas, após ficar na fase de grupos nas duas últimas edições. No grupo H, ao lado de Portugal, Uruguai e Gana, os coreanos buscam repetir 2002 e 2010, quando conseguiram suas duas melhores campanhas na história, ao chegar na semifinal em 2022, e cair nas oitavas-de-final em 2010, justamente para o Uruguai.

Próximas partidas da Coreia do Sul:

  • 28 de novembro: Coreia do Sul x Gana (segunda-feira, 10h)

  • 2 de dezembro: Coreia do Sul x Portugal (sexta-feira, 12h)