4x400m misto: conheça a prova do atletismo estreante na Olimpíada de Tóquio

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Prova 4x400m misto é novidade no atletismo dos Jogos Olímpicos de Tóquio (REUTERS/Ahmed Jadallah)
Prova 4x400m misto é novidade no atletismo dos Jogos Olímpicos de Tóquio (REUTERS/Ahmed Jadallah)

O primeiro dia do atletismo em Tóquio trouxe uma disputa inédita nos Jogos Olímpicos: o 4x400m misto. A prova teve a classificatória e definição dos finalistas na manhã desta sexta-feira.

A corrida de revezamento que une homens e mulheres em uma mesma disputa é novidade nas Olimpíadas. Esta é a primeira vez que a competição faz parte da agenda olímpica.

Leia também:

Como tudo começou...

O 4x400m misto é algo relativamente novo no atletismo. Foi só em 2019 que a IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo) introduziu esse formato no Campeonato Mundial de Atletismo. Na ocasisão, a prova passou a fazer parte do evento junto com outras duas provas mistas: 2x2x400m e revezamento em disputas com barreiras.

Antes, o novo formato chegou a ser testado no Mundial de Revezamento de 2017.

Como funciona?

Como o próprio nome indica, trata-se de uma prova com participação de homens e mulheres em conjunto. É necessário que cada equipe conte com dois corredores de cada gênero.

Na hora da corrida, no entanto, cada equipe é livre para definir a própria estratégia, utilizando os integrantes na ordem que bem entender. Isso é um detalhe importante para se levar em consideração, já que corredores homens são mais velozes em relação às mulheres.

Normalmente, a opção é por corredores do sexo masculino abrindo e fechando a disputa, com as mulheres entrando em ação na segunda e terceira parte da prova. Algumas equipes, no entanto, já apostaram em uma ordem diferente para tentar surpreender os adversários.

Brasil nos 4x400m misto

O Brasil conta com um bom resultado na recente história da prova. No Mundial de Revezamento disputado neste ano, a equipe brasileira fechou na segunda colocação, atrás somente da Itália. Os Estados Unidos, que haviam vencido a corrida mista no Mundial de Atletismo em 2019, não participaram na ocasião.

Em Tóquio, porém, o sonho de medalha para os brasileiros no 4x400m misto ficou pelo caminho. O time formado por Anderson Henriques, Tiffany Marinho, Tabata Vitorino e Pedro Burmann registraram o novo recorde sul-americano, marcando 3m15s89, mas não conseguiram avançar à final. O Brasil fechou em 12º na classificação geral.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos