30 anos e solteira: Emma Watson diz que é sua própria parceira

Yahoo Vida e Estilo


Emma Watson fala sobre como se sente ao chegar solteira aos 30 anos (Foto: Getty Images)
Emma Watson fala sobre como se sente ao chegar solteira aos 30 anos (Foto: Getty Images)

Em uma entrevista para a Vogue britânica, Emma Watson disse que é uma mulher "self-partened", ou seja, parceira de si mesma. Solteira e chegando aos 30 anos (ela completa a idade em abril do ano que vem), a atriz explica que está muito bem do jeito que está - e nos mostra como a sociedade ainda valoriza a idade e o status de relacionamento de uma mulher. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

Durante a conversa, a atriz explicou que nunca entendeu muito bem porque as pessoas ficavam em crise ao chegar aos 30 anos, mas que, agora, aos 29, entendeu que existe uma mensagem subliminar sobre o assunto, que gera uma ansiedade palpável. 

Leia também

"Eu entendi que tem esse fluxo de mensagens subliminares rodando. Se você não construiu um lar, se não tem um marido, se não tem um bebê, e você está fazendo 30 anos, e você não está em um lugar totalmente seguro e estável com a sua carreira, ou se você está descobrindo as coisas ainda… Tem essa quantidade absurda de ansiedade", disse ela. 

De fato, quando pensamos nas mulheres, existe uma pressão imposta para atingir um certo status ao chegar aos 30 anos. É claro que todas as pessoas criam expectativas sobre a própria vida e onde querem estar quando alcançarem a idade, mas é verdade também que mulheres que avançam na idade e não casam ou não tem filhos ainda são vistas com olhos tortos por parte da população.

O mais curioso é que estudos já revelaram que o casamento é melhor para os homens do que para as mulheres. Paul Dolan, professor de Ciência Comportamental da Escola de Economia de Londres, explica que tanto em termos de felicidade, quanto de saúde, o casamento é muito benéfico para os homens, já que eles sossegam e correm menos riscos.

Ao contrário, as mulheres solteiras apresentam um nível de felicidade muito maior do que as que são casadas e mães. E o estudo conclui que algumas delas deveriam continuar solteiras em nome do seu próprio bem-estar.  

Apesar disso, a atriz ainda diz que acreditar no jogo do "eu sou feliz solteira" não é simples. Para ela, houve um processo até aceitar essa condição com tranquilidade e dizer, hoje, que está em paz consigo mesma. "Levou muito tempo, mas hoje eu estou muito feliz [solteira]. Eu chamo isso de ser minha própria parceira". 

Se tem uma coisa que Carrie Bradshaw nos ensinou é que estar solteira em qualquer idade não é uma questão - o verdadeiro problema está não só em colocar no relacionamento a fonte de toda a sua felicidade como em não aprender a conviver com a própria companhia, o que pode trazer uma série de aprendizados. A boa notícia é que Emma parece ter passado justamente por esse processo e, ainda bem, percebeu que é possível, sim, ser feliz em qualquer formato.

Leia também