3 - Rogério Ceni diz entender protesto de torcedores após derrota

4 - 'Não fiz nada demais', diz Rodrigo Caio após 'anular' cartão para Jô

ALEX SABINO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Acabou a lua de mel da torcida do São Paulo com o time. Nos minutos finais da derrota para o Corinthians, parte do público superior a 45 mil pessoas começou a gritar que o time era "sem-vergonha". Os jogadores deixaram o gramado de cabeça baixa. Poucos aceitaram falar com a imprensa. E os que toparam, como o zagueiro Maicon, deram razão para os torcedores.

Rogério Ceni também. O treinador ressaltou que o São Paulo sofreu duas derrotas seguidas por 2 a 0 em partidas de mata-mata. Na última quinta (13), perdeu para o Cruzeiro pela Copa do Brasil.

"É compreensível o torcedor sair chateado. Não faltou dedicação, empenho... No futebol, só dois números importam. Os gols do seu time e do adversário. Quando você vence, os outros números têm certa importância. Quando perde, fica como segunda peça", tentou explicar o técnico.

Nos 30 minutos após o clássico, são-paulinos fizeram aglomeração em frente ao portão de saída do ônibus da delegação para protestar.

O ambiente conturbado do São Paulo contrasta com a calma no Corinthians. A única preocupação de Fábio Carille é Jadson, substituído no segundo tempo após sofrer entorse no joelho esquerdo. O meia será avaliado clinicamente nesta segunda (17).