3 destaques e 3 decepções no empate do Fluminense contra o River Plate

Nathalia Almeida
·3 minuto de leitura

Após oito anos de um hiato que machucava o torcedor, o Fluminense retornou à Libertadores e não fez feio. Muito pelo contrário, na verdade.

Enfrentando o melhor time do continente nos últimos anos, o River Plate, a equipe carioca teve boa atuação e criou as chances mais agudas do jogo, ficando por um detalhe de sair do Maracanã com a vitória. O empate por 1 a 1, no entanto, ficou de bom tamanho aos olhos dos dois treinadores.

Com base nas atuações de ontem, listamos quem se destacou e quem deixou a desejar pelo lado do clube das Laranjeiras:

DESTAQUES

1. Cazares

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Precisou de apenas 35 minutos em campo para ser eleito o craque do jogo pela Conmebol. Sua entrada no segundo tempo mudou totalmente os rumos do duelo.

Dominou as ações no meio-campo tricolor, deu bela assistência para o gol de Fred e ainda deixou Lucca na cara do gol com um lançamento perfeito, chance aguda desperdiçada pelo atacante. Um recital do venezuelano, que encantou o torcedor do Fluminense.

2. Luccas Claro/Nino

Luccas Claro teve mais uma grande exibição com a camisa tricolor | Bruna Prado/Getty Images
Luccas Claro teve mais uma grande exibição com a camisa tricolor | Bruna Prado/Getty Images

Não seria justo escolher só Nino ou só Luccas Claro para os destaques, visto que os dois estiveram impecáveis no duelo. Acertaram praticamente todos os botes/desarmes/interceptações e cederam pouquíssimo espaço aos atacantes do River.

Se complementam perfeitamente em estilo e características. Finalmente, depois de muito tempo procurando, o Fluminense parece ter encontrado a sua dupla de zaga.

3. Luiz Henrique

Jovem atacante mostrou personalidade contra o River | Bruna Prado/Getty Images
Jovem atacante mostrou personalidade contra o River | Bruna Prado/Getty Images

Assim como todo o time tricolor, Luiz Henrique esteve inseguro nos primeiros minutos de jogo, errando passes bobos e perdendo a posse de bola algumas vezes.

Com o passar do tempo, foi ficando mais à vontade e se consolidou como a arma ofensiva mais perigosa do Tricolor na primeira etapa. Não se omitiu em momento algum e criou ótimas jogadas individuais. Mostrou muita personalidade.

DECEPÇÕES

4. Marcos Felipe

Marcos Felipe cometeu erro infantil em penalidade | Alexandre Schneider/Getty Images
Marcos Felipe cometeu erro infantil em penalidade | Alexandre Schneider/Getty Images

Em que pese o fato de ter feito uma grande defesa evitando o 2 a 0 do River ainda na primeira etapa, Marcos Felipe foi o principal 'responsável' pelo fato do gigante argentino ter saído à frente no marcador.

Seu bote totalmente equivocado nos pés de Rafael Borré entregou, de graça, a penalidade em favor dos visitantes convertida por Montiel. Um erro infantil que poderia ter custado ainda mais caro para o Fluminense, não fosse a reação tricolor no segundo tempo.

5. Nenê

Nenê errou tudo que tentou nos 55 minutos que esteve em campo | Bruna Prado/Getty Images
Nenê errou tudo que tentou nos 55 minutos que esteve em campo | Bruna Prado/Getty Images

Uma atuação pra se esquecer do veterano meia. Errou tudo que tentou nos 55 minutos que esteve em campo, mandando 'pra lua' uma chance clara na entrada da grande área (ainda na primeira etapa) e perdendo inúmeras posses de bola, sem conseguir dar continuidade nas jogadas.

Não conseguiu dar dinamismo ao jogo tricolor e não se destacou nem mesmo naquilo que é seu ponto forte, a bola parada.

6. Lucca

Lucca desperdiçou a chance da virada tricolor | Pool/Getty Images
Lucca desperdiçou a chance da virada tricolor | Pool/Getty Images

Esteve em campo por apenas 15 minutos, e ainda assim conseguiu frustrar o torcedor tricolor.

Cara a cara com Armani, teve em seus pés a chance da virada após receber lançamento açucarado de Cazares, mas chutou pra fora. Ainda conseguiu tomar cartão amarelo por uma falta totalmente desnecessária na defesa, que acabou levando perigo à meta de Marcos Felipe.

Provou, mais uma vez, que não pode ser opção imediata na rotação de Roger Machado.