3 - Cielo volta com tempo 'bom', mas reclama de organização no Maria Lenk

PAULO ROBERTO CONDE

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A volta de Cesar Cielo às grandes competições ocorreu na noite desta terça-feira (2), e de maneira discreta.

O velocista, recordista mundial dos 50 m livre e dos 100 m livre, fechou o revezamento do Esporte Clube Pinheiros que venceu o 4 x 50 m livre no Troféu Maria Lenk, que vai até domingo no Rio. Em sua passagem, ele anotou a marca de 21s32, que não pode ser computada em rankings por ter sido com largada em movimento.

"Dentro do possível, acho que foi bom. Nadei até mais 'encaixado' do que esperava. Na prova posso forçar até um pouquinho no início", disse Cielo, cuja disputa individual dos 50 m livre ocorrerá no sábado (6).

Ele também nadará os 100 m livre, na quinta-feira (4), e os 50 m borboleta, na sexta-feira (5). O Troféu Maria Lenk é o primeiro evento com o paulista desde abril de 2016, quando ele não obteve classificação para competir nos Jogos Olímpicos do Rio.

Se o tempo no revezamento não empolgou, Cielo ficou ainda mais insatisfeito com a organização do campeonato. Durante as finais desta terça, houve três quedas de luz no Parque Aquático Maria Lenk, uma delas com duração superior a 25 minutos.

"Espero que a organização da competição fique um pouquinho melhor para não ter essas quedas de luz, problemas com placar, para vermos os tempos de verdade e termos uma boa seletiva. Atrapalha, porque a gente está completamente preparado para um horário específico e fica complicado fazer a manutenção dessas coisas quando se tem um imprevisto", afirmou o nadador, tricampeão mundial dos 50 m livre e ouro na distância nos Jogos de Pequim-2008.