2 - Felipe Melo promete 'varada na bunda' e cobrança no elenco do Palmeiras

3 - Baptista vê passividade em palmeirenses

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Palmeiras deixou o gramado do Estádio Moisés Lucarelli incomodado. Fora a derrota por 3 a 0 para a Ponte Preta, que afasta o time de Eduardo Baptista da decisão do Campeonato Paulista, o elenco reprovou a postura diante da Ponte Preta. Agora, antes do duelo decisivo da volta, é a hora de cobrar, segundo o volante Felipe Melo.

Na saída de campo, em entrevista ao "SporTV", o camisa 30 garante que o elenco já se mobilizou para apagar a atuação ruim deste domingo. Para avançar à decisão, o Palmeiras precisará de uma goleada por quatro gols de diferença no próximo sábado (22), a partir das 19h (de Brasília), no Allianz Parque.

"Já teve cobrança no vestiário. Pai quando cobra do filho tem que dar um tapa na bunda. Não tem o tapa na bunda? Dá varada na bunda, isso é bíblico", declarou o volante palmeirense, ciente da tarde pouco inspirada do atual campeão brasileiro.

"Hoje [domingo] não fomos bem. Não somos imbatíveis, mas é nessa hora que vemos os grandes guerreiros e os grandes times. (...) Um placar de 3 a 0 é amplo e difícil, mas não existe impossível no futebol", acrescentou.

Apesar da reprovação com a própria atuação coletiva, Felipe Melo usou a entrevista pós-jogo para manter a confiança em alta. O volante acredita que, com uma grande atuação no próximo final de semana, a equipe pode reverter a larga desvantagem.

"Não tem nada a acabado. Glória a Deus até pela derrota, como diz a Bíblia. (...) Quando ganhamos, a gente ri. A intimidade que temos no grupo fará a gente correr o dobro para reverter", afirmou.

Também para o SporTV na saída de campo, o goleiro Fernando Prass reforçou as palavras do volante palmeirense. O camisa 1, principal ídolo do torcedor dentro deste elenco e atleta mais experiente, garante que os jogadores irão se cobrar ainda mais depois do revés que afasta o Palmeiras da decisão do Paulista.

"A cobrança será feita, obviamente, mas isso fica entre nós. No sábado resolveremos", resumiu-se a dizer o goleiro palmeirense depois da dura derrota no interior.

EDUARDO BAPTISTA

Uma derrota na qual o Palmeiras reconheceu a superioridade do próprio adversário. Foi assim que Eduardo Baptista tratou o resultado deste domingo de Páscoa. O comandante palestrino lamentou a tarde ruim e criticou a passividade demonstrada pelo time no Moisés Lucarelli.

"Não fizemos uma boa partida. Foi muito ruim, especialmente no início. Não conseguimos neutralizar o que a Ponte Preta tinha de melhor. Agora é voltar para a casa e no sábado reverter este resultado", declarou o treinador, surpreso com o comportamento do time em Campinas.

"O gol no início atrapalhou, mas tínhamos que ter voltado para o jogo, especialmente no segundo tempo. Mexemos com os jogadores no intervalo, mas estávamos sem reação mesmo. Não foi o Palmeiras agressivo do último jogo, um time muito aguerrido mesmo quando não joga bem. Aquele time lá não veio para Campinas hoje [domingo]", analisou.