2 - ATUALIZADA - Após queda de braço, Flamengo e Odebrecht liberam Crea no Maracanã

LEO BURLÁ E VINÍCIUS CASTRO

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Após ter a entrada no Maracanã impedida, o Crea-RJ (Conselho de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro) recebeu, enfim, a autorização para ter acesso aos laudos técnicos que podem atestar as condições técnicas e estruturais no estádio.

O acordo para o fim do impasse foi costurado por Alexandre Wrobel, vice-presidente de patrimônio do clube rubro-negro, e Reynaldo Barros, presidente do órgão. Uma equipe técnica já está a caminho do local.

Antes do sinal verde, Jorge Mattos, coordenador do Crea, registrou um boletim de ocorrência para oficializar a insatisfação por ter sido barrado no Maracanã, e o corpo jurídico da entidade ingressou com um pedido de liminar judicial para que o jogo entre Flamengo e San Lorenzo fosse cancelado, mas o mesmo será retirado.

"O Crea não tem poder de polícia, mas nosso acesso não pode ser negado. Eu quero é chegar lá e saber se houve as manutenções necessárias. Não posso dizer que está errado, mas também não dá para dizer que não está certo. Se estavam proibindo, será que tem algo errado? Não sei, não tenho nenhuma pista", disse Mattos.

O Flamengo alega que a fiscalização do Crea, que era feita trimestralmente, não é necessária para a autorização de eventos, já que o clube tem os laudos dos Bombeiros e da Polícia Militar. Para não gerar insegurança e incerteza nos torcedores, o acesso aos documentos foi franqueado aos técnicos.

A assessoria de imprensa do clube informou que a "Odebrecht aprovou e vai haver uma visita de um representante do Crea e de um engenheiro. Essa visita será acompanhada por alguns representantes do Flamengo"