Retrospectiva: 10 times dos anos 2010 que merecem ser lembrados

De 2010 a 2019, tivemos vários times que nós lembraremos por muito tempo. Veja abaixo as equipes escolhidas pelo Yahoo Esportes como as mais marcantes dos anos 2010.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

PSG nunca ganhou tantos títulos franceses como nos últimos dez anos. Foto: Jean Catuffe/Getty Images
PSG nunca ganhou tantos títulos franceses como nos últimos dez anos. Foto: Jean Catuffe/Getty Images

10. Paris Saint-Germain multimilionário

Em 2011, a Qatar Sports Investments tomou conta do time da capital da França. Um time que pouco tinha vencido o Campeonato Francês ganhou o torneio seis vezes nos últimos sete anos. Vários jogadores do período se tornaram ícones da história do clube, com quase 300 partidas, como Matuidi, Thiago Silva, Cavani, Verratti, Pastore e Marquinhos. Além deles, outros jogadores marcantes no período foram Ibrahimovic, Di Maria, Lavezzi e, mais recentemente, Neymar, Mbappé e Draxler.

Com todo o sucesso nacional e contratações milionárias, o time encantou em vários momentos sob comando dos técnicos Ancelotti, Blanc, Emery e Tuchel. Entretanto, os seguidos fracassos na Champions League nas oitavas e nas quartas de final deixaram o torcedor incomodado. Em 2016/2017, o maior revés: 6 a 1 para o Barcelona depois de ter vencido por 4 a 0 em casa.

Leia também:

Que timaço do Dortmund. Foto: Team 2 Sportphoto/ullstein bild via Getty Images
Que timaço do Dortmund. Foto: Team 2 Sportphoto/ullstein bild via Getty Images

9. Dortmund de Klopp

O bicampeonato alemão de 2010/11 e 2011/12 foi a arrancada de Klopp entre os “cachorros grandes”. Ele ficou de 2008 a 2015 no clube, dando um estilo vertical e de marcação pressão ao time. Além dos dois títulos, ele chegou a uma final de Champions League, perdida para o Bayern em 2013.

Essa grande geração “revelou” grandes nomes do futebol nos anos seguintes, como Lewandowski, Hummels, Gotze, Sahin, Perisic, Gungogan, Reus, Kagawa e Aubameyang.

Simeone faz história no Atlético de Madrid. Foto: David S. Bustamante/Soccrates/Getty Images
Simeone faz história no Atlético de Madrid. Foto: David S. Bustamante/Soccrates/Getty Images

8. Atlético de Madrid e a competitividade de Simeone

Com um bom investimento e Simeone, um técnico que revolucionou o jogo da equipe desde que chegou, em 2011, o Atlético de Madrid teve uma década superior às anteriores. Nas últimas 7 temporadas, a equipe fez mais de 70 pontos no Campeonato Espanhol, ficando em terceiro quatro vezes, em segundo duas vezes e uma vez campeão, em 2013/2014.

Em nível europeu, o Atlético ganhou nada menos do que três Ligas Europa (10, 12 e 18), além de dois vices na Champions League, perdendo para o rival Real em 14 e 16. Quem não curtiu a raça dos Colchoneros contra os seus rivais mais ricos? Os jogadores mais marcantes foram Griezmann, Koke, Diego Costa, Courtois, Godin, Gabi, Miranda, Juanfran, Oblak Filipe Luis. No começo da década, ainda tivemos Forlán, Falcao Garcia, Arda Turan, De Gea… Timaços!

O histórico trio de defesa Andrea Barzagli, Leonardo Bonucci e Giorgio Chiellini. Foto: AP Photo/Antonio Calanni
O histórico trio de defesa Andrea Barzagli, Leonardo Bonucci e Giorgio Chiellini. Foto: AP Photo/Antonio Calanni

7. Juventus octacampeã italiana e duas vezes vice da Champions

Difícil precisar apenas um time base para a Juventus de 2012 até 2019, com oito títulos italianos seguidos. Os três primeiros foram conquistados sob comando de Antonio Conte, com Buffon no gol e o trio histórico de zagueiros Bonucci, Barzagli e Chiellini. À frente deles, Pirlo comandava como “regista”. Pogba e Vidal também fizeram história neste primeiro período e, com a contratação de Tevez, o time encorpou mais no tricampeonato.

Os últimos cinco títulos italianos foram conquistados sob a batuta de Massimiliano Allegri. Inicialmente, Allegri manteve algumas ideias de seu antecessor, mas mostrou mais variedade tática, ficando às vezes mais conservador. Com a base da temporada anterior (mais Morata), o time perdeu a final da Champions 2015 para o Barça do trio MSN. Aos poucos renovou o time, trouxe Pjanic, Dybala, Cuadrado, Alex Sandro, Khedira, Mandzukic. Nos último anos, com mais um vice da Champions (2017 para o Real Madrid), ainda trouxe duas “cerejas" no bolo: Dani Alves (que já saiu) e Cristiano Ronaldo. Segue vivo o sonho da Europa para a próxima década!

Salah, Klopp e Van Dijk foram os três ícones do Liverpool. Foto: Peter Byrne/PA via AP
Salah, Klopp e Van Dijk foram os três ícones do Liverpool. Foto: Peter Byrne/PA via AP

6. Liverpool, com Klopp, “will never walk alone”

Depois de ter feito história no Dortmund, o alemão Jürgen Klopp foi para o Liverpool em 2015 disposto a fazer história. Com um vice-campeonato da Liga Europa para o Sevilla logo na primeira temporada, esperava-se que o primeiro título saísse logo. Porém, foram mais duas temporadas sem conquistas.

A que mais doeu foi na temporada 2017/2018, o vice-campeonato europeu, perdendo para o Real Madrid. Foi a primeira temporada do trio Mané-Firmino-Salah em Anfield. O futebol espetacular, com muita rapidez no ataque, continuou na última temporada, com um segundo lugar de respeito no Inglês, fazendo inacreditáveis 97 pontos. Porém, o título veio na competição mais esperada: a Champions, que teve um 2 a 0 sobre o rival Tottenham na final. Van Dijk, o superzagueiro holandês, foi um ícone da equipe.

Se tem uma coisa que o time de Guardiola sabe fazer é quebrar recorde. Foto: AP Photo/Rui Vieira
Se tem uma coisa que o time de Guardiola sabe fazer é quebrar recorde. Foto: AP Photo/Rui Vieira

5. Manchester City 17-19, o supertime de Guardiola

Dos times mais ricos do mundo, é o que de longe aposta mais em jovens. Apesar de não ter chegado à semifinal da Champions League em nenhuma de suas três temporadas no City of Manchester, Pep Guardiola conseguiu formar um time que praticamente não perde pontos.

Tirando a primeira temporada, na qual Guardiola ainda se adaptava e o elenco ainda não tinha todas as suas contratações efetuadas, ele ganhou os dois campeonatos ingleses seguintes com 100 e 98 pontos, com 106 e 95 gols, respectivamente. Os 100 pontos foram o recorde histórico da Premier League. Não tem como não apreciar o futebol do time de Sterling, Aguero, De Bruyne, David Silva, Bernardo Silva e Gabriel Jesus.

Aí só tem craque do Bayern. Foto: AP Photo/Jon Super
Aí só tem craque do Bayern. Foto: AP Photo/Jon Super

4. Bayern de Munique 12-16, a máquina alemã de Jupp Heynckes e Guardiola

A segunda temporada de Jupp Heynckes e os três anos de Guardiola no comando do Bayern trouxeram um grande legado ao time de Munique. O esquadrão alemão influenciou o estilo de jogo da Alemanha campeã do mundo de 2014. A Champions veio em 2013, com Heynckes, e depois três semifinais. Na época, o Bayern bateu o recorde de pontos da Bundesliga (91), maior antecedência de título (6 rodadas, em um campeonato de 34).

Os ícones do time foram Ribery, Robben, Thomas Muller, Schweinsteiger, Kroos, Neuer, Lahm e Mandzukic. Depois, uma transição de destaque com Alaba, Thiago Alcântara, Xabi Alonso, Lewandowski, Kimmich e Coman.

Um dos melhores trios de ataque da história. Foto: AP Photo/Manu Fernandez
Um dos melhores trios de ataque da história. Foto: AP Photo/Manu Fernandez

3. Barcelona do trio MSN: um dos melhores ataques da história

O que acontece quando você junta três exímios finalizadores no seu ataque? Gols e mais gols de Messi, Suárez e Neymar. Foram 270 gols do trio em três temporadas, com dois títulos espanhóis (os três anos com no mínimo 90 pontos) e uma Champions League. Na sua temporada de estreia, os catalães acabaram com a Juventus na final.

O time sempre foi visto como dono de um futebol menos vistoso do que nos tempos de Guardiola, mas o time de Luis Enrique impressionava pela força ofensiva e, apesar de menos posse de bola, conseguiu números parecidos dos tempos de Pep com craques além do trio de ataque. Tanto remanescentes como Dani Alves, Piqué, Mascherano, Alba, Busquets e Iniesta, como pela ascensão de Rakitic. No fim, acabou perdendo o Espanhol para o Real Madrid. Luis Enrique e Neymar saíram em seguida.

Zidane e Cristiano Ronaldo fizeram o segundo Real Madrid mais vencedor da história, atrás apenas da década de 1950. Foto: Chris Brunskill Ltd/Getty Images
Zidane e Cristiano Ronaldo fizeram o segundo Real Madrid mais vencedor da história, atrás apenas da década de 1950. Foto: Chris Brunskill Ltd/Getty Images

2. Real Madrid quatro vezes campeão da Champions

Ganhar quatro títulos europeus em um espaço tão curto de tempo apenas… o próprio Real Madrid, na década de 1950. Dentro de campo, foi o início do reinado de Cristiano Ronaldo que, empilhando Champions, foi o melhor do mundo várias vezes.

A fase de ouro começou sob comando de Carlo Ancelotti, em 2013/2014. O time era praticamente idêntico ao tricampeão europeu depois com Zidane, com a diferença importante de esquema, com a entrada de Casemiro à frente da zaga no lugar do meia-atacante Di María, que foi vendido. O time de Sergio Ramos, Marcelo, Kroos, Modric, Bale, Benzema, Isco e CR7 fez história com os títulos, nem sempre com um futebol vistoso. Em cinco anos, foi campeão espanhol em uma temporada: 2016/2017.

Os três ícones de um time que revolucionou o futebol: Iniesta, Messi e Xavi. Foto: LLUIS GENE/AFP via Getty Images
Os três ícones de um time que revolucionou o futebol: Iniesta, Messi e Xavi. Foto: LLUIS GENE/AFP via Getty Images

1. Barcelona 10-12, a consolidação da era Guardiola

Talvez o time que mais tenha influenciado o futebol neste século. Só não é o primeiro colocado da lista desta década porque a primeira temporada mágica aconteceu na outra. O time então campeão espanhol com Guardiola e campeão da Champions, com Messi, Dani Alves, Xavi, Iniesta e Pedro foi reforçado por Mascherano e David Villa.

A temporada 2010/2011 foi mágica. O título da Champions sobre o Manchester United foi conquistado com muita classe. E o título espanhol teme a melhor defesa da história da competição, com apenas 21 gols tomados. E na única vez na história um time fez gols nos 19 jogos como visitante. Já a temporada seguinte, apesar de ter perdido o Espanhol e a Champions, foi a temporada mais artilheira da história de Messi, na qual fez 73 gols.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos