De 0 a 10, qual a nota da seleção brasileira para o jogo contra a Suíça? Colunistas do GLOBO opinam

Após a vitória contra a Sérvia, a seleção brasileira recebeu nota média 9. Afinal, a defesa mostrou a solidez de sempre e o ataque, sob comando de Richarlison, havia brilhado. Já nesta segunda-feira, na vitória por 1 a 0 contra a Suíça, as avaliações não foram as mesmas. Embora o sistema defensivo tenha funcionado bem novamente, faltou inspiração no ataque. As alternativas pensadas por Tite num primeiro momento para substituir o lesionado Neymar não funcionou. Só na segunda etapa, com as entradas de Bruno Guimarães e Rodrygo, considerados destaques da partida pelos colunistas do GLOBO, que o Brasil conseguiu chegar ao gol com Casemiro, melhor do jogo.

Confira as notas dos colunistas do GLOBO:

PC Vasconcellos: Nota 7. O jogo coletivo não foi bem desenvolvido, o time teve dificuldade em trocar passes com velocidade e e gerar oportunidades. Autor do gol, Casemiro foi o melhor em campo. Já se destacara contra a Sérvia

Marcelo Barreto: Nota 7,5. Tecnicamente, o Brasil esteve bem abaixo da atuação contra a Sérvia. Taticamente, demorou a se acertar, mas buscou soluções. E emocionalmente houve uma boa combinação entre a estabilidade dos veteranos e a energia dos jovens.

Martín Fernandez: Nota 6,5. O Brasil demorou a engrenar contra a Suíça. Neymar e seu imenso repertório fizeram muita falta. Rodrygo funcionou melhor do que Paquetá na tarefa de substituir o camisa 10. Tite acertou ao não se conformar com as primeiras tentativas e sacou Fred e Paquetá para tentar alternativas que tornassem o time mais rápido e mais incisivo. A insistência foi premiada com o golaço de Casemiro.

Carlos Eduardo Mansur: Nota 7. Era sabidamente um jogo difícil. O Brasil ficou com um jogo um tanto previsível no primeiro tempo, caiu no segundo e voltou a subir após a entrada de Bruno Guimarães, que alternava subidas com Casemiro. Sobre o autor do gol, prêmio para uma atuação excelente. Desde o primeiro tempo, iniciava algumas jogadas mais à frente, posicionando-se como meia. Nesta posição, fez o gol da vitória.

Thales Machado: Nota 6 para a atuação da seleção. O jogo era difícil, mas a expectativa era alta pela atuação na 1ª partida e ideia de que o talento espalhadofaria o time sentir menos falta de Neymar. Não aconteceu. Mas time resolveu. Mas vai precisar jogar mais que hoje.