Último encontro entre Santos e Papão marcou a despedida de Robinho

Gabriela Brino

O último encontro entre Paysandu e Santos foi há 12 anos em um jogo especial. Além da virada por 3 a 2 no Mangueirão, o ídolo Robinho se despediu do clube que o revelou.

- Vai ser difícil essa despedida, porque aqui é minha casa. Sempre me identifiquei muito com o Santos e devo tudo o que consegui ao clube e a torcida - disse o Menino da Vila na época.

Diferentemente da despedida na Vila Belmiro, onde o ex-camisa 7 marcou dois tentos e saiu do Alçapão aclamado, em Belém o atacante teve uma atuação discreta, mas ainda assim, o Peixe levou os três pontos para casa. Em 17 jogos contra o rival paraense, são 11 vitórias e somente duas derrotas. Nos últimos cinco encontros o Alvinegro não perdeu.

Tudo começou em 1947, onde Santos e Papão se enfrentaram em um amistoso na Curuzu. O Santos levou a vitória por 4 a 1. Após um período de 34 anos, o combate voltou a acontecer, agora, na Vila, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro. Novamente com quatro tentos, a equipe da casa levou os três pontos.

Outro episódio marcante aconteceu em 2002, no Campeonato Brasileiro em Belém. Após o término da partida, uma briga aconteceu no gramado do estádio Mangueirão e a polícia interviu. O motivo foi os jogadores da Baixada reclamarem ao árbitro de um suposto gol irregular. Com isso, além do uso do gás de pimenta no rosto de alguns atletas, o santista Preto foi atingido na cabeça com um cassetete.

Após 12 anos, a equipe do técnico Dorival Júnior enfrentará o Paysandu, nesta quarta-feira, às 19h30, na Vila Belmiro, na estreia pela Copa do Brasil. Coincidentemente, com a chance de acumular a 12º vitória. E se depender do atual elenco do Peixe, a coincidência se tornará realidade.









E MAIS: