É cedo para o São Paulo seguir o caminho do Grêmio e pensar em mudanças?

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O São Paulo, sob o comando de Hernán Crespo, ganhou o Campeonato Paulista com sobras. Porém, de uma hora para outra, os resultados e o desempenho foram para os ares. Depois de nove partidas no Campeonato Brasileiro, o time ainda não venceu - são quatro derrotas e cinco empates - e está dentro da zona de rebaixamento. É hora de mudar, assim como fez o Grêmio?

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

A resposta é "ainda não". E isso é facilmente explicável. O São Paulo, muito embora essa crise, tem a real noção do que está acontecendo com a equipe. A diretoria e o próprio técnico Hernán Crespo sabiam dos riscos que se corria ao priorizar, de modo até fora do comum, o Estadual. Está demorando para se retomar um padrão? Sim, está. Mas há indícios fortes de que o contexto são-paulino sabe o que está fazendo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Como não confiar no feeling de Muricy Ramalho? Como não acreditar em Crespo e sua honestidade? O São Paulo não esconde de ninguém os seus problemas, as suas dificuldades. Não há sentimento algum de perda de comando ou de algo a incomodar o grupo de atletas. Existe, sim, uma indignação normal de quem está mal. Todos entendem isso e não escondem a realidade.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

E é justamente este ponto que difere o clube do Morumbi do rival gaúcho. O Grêmio se perdeu completamente entre escolhas equivocadas, convicções fora de propósito e desmandos do departamento de futebol. Com isso, o vestiário engoliu dirigentes e comissão técnica. Só que ninguém reconhece isso. O clube azul errou lá atrás, tratando a dispensa de Renato Portaluppi como um fato até para agradar parceiros políticos da atual direção. E, agora, precisa remendar os pedaços que ficaram de uma era vencedora. São contextos bem diferentes, concordam?

Para mais notícias do São Paulo, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos