Áudio relata temor de delegado por suspensão: 'Dou minha palavra, no intervalo fazemos as substituições'

·1 minuto de leitura


Em Itaquera, a bola rolou por menos de cinco minutos entre Brasil e Argentina. Agentes da Anvisa e da Polícia Federal paralisaram o jogo para cumprir ordens devido falsificações de informações prestadas de jogadores argentinos sobre protocolos sanitários. Um dia depois do entrevero, o programa "Seleção SporTV" divulgou a conversa que rolou dentro de campo.
+ Veja a classificação das Eliminatórias Sul-Americanas!

No conteúdo do áudio divulgado pelo Grupo Globo, o delegado da partida pede compreensão por parte dos funcionários da Anvisa. O compromisso por segregar os quatro jogadores argentinos, no entanto, causa certo desespero na autoridade do clássico sul-americano que ocorria na Neo Química Arena.

- Doutor, a gente está na televisão. A gente não pode fazer isso! A gente tem que jogar! No intervalo vamos fazer as substituições. Eu dou minha palavra para o senhor. No intervalo nós vamos resolver - disse.

Em seguida, diante da recusa do funcionário do órgão, o delegado tenta tirar o agente de dentro do gramado para dar prosseguimento a partida.

- Senhor, estou cumprindo uma ordem. Traga eles aqui agora. Eles assinam, vocês continuam, e depois negociam com a polícia, que vai decidir - exclamou o servidor da Anvisa.

Ainda no programa comandado por André Rizek, Alex Machado Campos, diretor da Anvisa, comentou sobre a polêmica. Segundo ele, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária não foi a culpada pela suspensão da partida. O diretor aponta que diante dos reincidentes descumprimentos das normas brasileiras, a Argentina deveria ter evitado o caso.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos