Áudio confirma conteúdo de denúncia de assédio feita por funcionária da CBF contra Rogério Caboclo

·3 minuto de leitura


Um escândalo de abuso sexual e moral abalou a estrutura política da Confederação Brasileira de Futebol, na última semana. Acusado de ter desrespeitado uma funcionária, o presidente da CBF Rogério Caboclo foi afastado do cargo por 30 dias por decisão do Conselho de Ética da entidade. Depois disso, o programa da Globo "Fantástico" revelou materiais que comprovam as ações do mandatário do futebol nacional.

+ SIMULADOR: Confira a tabela de classificação do Brasileirão após a 2ª rodada

+ Começou o Brasileirão! Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

No áudio, Caboclo, chamado para depor na CPI da Pandemia, conversa com a funcionária no dia 16 de março de 2021 na sala de seu comando. A conversa descrita acontece após o dirigente chamar a mulher para seu escritório em um primeiro momento. Isso aconteceu uma semana após ele ter chamado a funcionária de "cadelinha". No dia 16, Caboclo ofereceu então bebida alcoólica para a funcionária, além de ter pedido para que ela retirasse a máscara contra a Covid-19.

+ Denúncia de assédio sexual: relembre 12 polêmicas envolvendo Neymar

A mulher teria se assustado com o comportamento inadequado do presidente e avisado para dois diretores da Confederação, solicitando ajuda. Um deles, que estava no prédio, foi até a sala do político e iniciado uma conversa, enquanto ela deixava o local. Rogério logo descartou o homem e solicitou para que a funcionária voltasse à sala.

A conversa agora era sobre relacionamentos anteriores da mulher. Como ela se negou a entrar no tema, Caboclo começou a desabafar sobre seu casamento. A funcionária conta que saiu da sala transtornada.

De acordo com a funcionária, os assédios seguiam acontecendo em diferentes dias. Caboclo está no comando da CBF desde 2019. Afastado, ele chegou a viver dias de turbulência: Rogério é indicado de um ex-político banido, já teve xingamentos em reunião vazado e mais.

Confira abaixo as declarações escutadas no áudio divulgado:

CBF sede
CBF sede

Sede da CBF, no Rio de Janeiro (Divulgação)

Rogério Caboclo: Seu coração tá no cabeção ou no pilotão?

Funcionária: Em nenhum dos dois

Rogério: Em quem tá?

Funcionária: Não tá em ninguém, é verdade. Mulher consegue ficar bem sozinha.

Rogério: Eu conheço minha mulher há 26 anos... Já apaixonei, pirei por amor.

Rogério
: Eu tinha te jurado que eu não ia falar sobre assuntos particulares. Ela tem a buceta dela e eu tenho o meu pau (...) Eu sou horroroso?

Funcionária: Chefe, eu não vou entrar no assunto da vida sexual de vocês (ri constrangida).

Rogério: (...) Ela vai fazer ginástica, vai voltar tesuda (...)

Funcionária: Então, todo mundo… deixa ela ser feliz.

Rogério: Sabe o que eu sou contra? Nada (...) Você quer uma taça de vinho? (...) Não... se não parece que eu estou louco (...) Posso te fazer uma pergunta?

Funcionária: Chefe, não vou me meter na sua vida sexual seu e da (...). Não vou, não vou.

Rogério
: Não é isso. É na sua (vida pessoal).

Funcionária: Deixa a minha (vida pessoal) quietinha.

Rogério: Você consegue resistir ao (...) todo dia dando em cima de você?

Funcionária: Consigo, nós somos amigos. Acabei de falar, consigo, ponto, nós somos amigos. E tá tudo bem, tá tudo certo, nós somos amigos, a gente se dá bem, ele no sofá, eu no quarto e tá tudo bem. (Observação: A funcionária neste trecho explica sobre sua relação com um colega de trabalho com quem divide apartamento)

Rogério: Eu não acredito.

Funcionária: Eu não tenho por que mentir, não.

Rogério: Tá bom. Segunda pergunta. Posso?

Funcionária: Fala.

Rogério: Você se masturba?

Funcionária: Chefe, tchau.

Rogério: Ei...

Funcionária: Não quero falar disso, não quero. Eu vou avisar ao (...) que você tá lá embaixo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos