Árbitro relata xingamento de Marinho em súmula; atacante do Santos se desculpa

Fábio Lázaro
·2 minuto de leitura


Transtornado ao fim da derrota do Santos por 1 a 0 para o Ceará, que culminou na eliminação santista nas oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta-feira (04), no estádio do Castelão, em Fortaleza, o atacante Marinho foi expulso mesmo após o apito final. Na súmula, o árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden relatou que foi ofendido pelo capitão santista ao fim do jogo.

- Expulsei com cartão vermelho direto o atleta de número 11 da equipe do Santos FC, senhor Mário Sérgio Santos Costa, por após o término do jogo vir em minha direção proferindo as seguintes palavras: "Você é muito fraco, vai tomar no cu, aqui é Santos". Informo que o mesmo teve que ser contido por integrantes da comissão técnica , pois tentava se aproximar da arbitragem. Relato que me senti ofendido com as palavras proferidas pelo atleta expulso - escreveu Vuaden no documento.

Através das suas redes sociais, Marinho reconheceu o erro e pediu desculpas.

- Quero apenas pedir desculpa a toda torcida! Acabei me exaltando hoje, devido ao calor do jogo. Me alterei. Vou evoluir e melhorar. Seguir lutando e sabendo o peso da camisa que visto. Hoje não foi um dia bom! Mas sempre vai ter amor a camisa que uso. Máximo respeito. E juntos vamos dar a volta por cima - escreveu o atacante.

Em entrevista coletiva virtual, o técnico Cuca mencionou uma possível falta em Jean Mota no início da jogada que resultou no gol da vitória cearense. No entanto, o treinador não colocou a culpa na eliminação na arbitragem e ainda viu com naturalidade a revolta de Marinho.

- A única coisa que o pessoal queixa é que na origem do gol do Ceará foi a falta do Jean Mota,. No mais é mata-mata, jogo decisivo, a gente fica bravo porque o adversário amarra o jogo, cai pra ser substituído, mas a gente faz isso também, não adianta, a gente fica bravo porque é do ser humano, mas a gente também faz isso. Não adianta achar culpa. Vuaden pode ter um dia ruim ou outro, mas é uma excelente pessoal, excelente profissional e não tem culpa pela nossa derrota - pontuou Cuca.

Com a desclassificação, o Santos perdeu, além da vaga às quartas de final da Copa do Brasil, a premiação de R$ 3,3 milhões, que poderia ajudar a diretoria do Peixe a arcar os salários de outubro, que vencem na próxima segunda-feira (09). Envolto em dívidas, o Alvinegro não tem previsão de caixa para pagamento dos salários dentro do prazo.