África deve apoiar planos de Copa do Mundo a cada dois anos

·1 min de leitura
Presidente da Confederação Africana de Futebol, Patrice Motsepe, fala com jornalistas em Abidjan, na Costa do Marfim

Por Mark Gleeson

CIDADE DO CABO (Reuters) - Acredita-se que países-membros da África apoiarão majoritariamente os planos de realizar uma Copa do Mundo a cada dois anos e também apoiarão a criação de uma Superliga quando a Confederação Africana de Futebol (CAF) realizar um congresso extraordinário no Cairo na sexta-feira.

O apoio à Copa do Mundo bienal, ao invés do atual ciclo de quatro anos, já foi expressa pelo presidente da CAF, Patrice Motsepe, e o congresso deve endossar os planos do presidente da Fifa, Gianni Infantino.

"Um dos maiores beneficiários de uma Copa do Mundo a cada dois anos são os países em desenvolvimento", disse Motsepe em uma coletiva de imprensa no mês passado. De acordo com fontes internas, ele apresentará o argumento de que a renda adicional da Copa do Mundo escoará para membros africanos e reforçará seus cofres.

A postura vem à tona apesar de ameaçar o principal evento do continente, a Copa das Nações Africanas, que acontece bienalmente porque costumava responder por 80% da renda da CAF antes de a entidade começar a receber subvenções da Fifa.

Motsepe se tornou um aliado próximo de Infantino, que nos últimos meses fez grande pressão pela aceitação de seu plano de aumentar a frequência da Copa do Mundo, mas encontra uma oposição considerável da Europa e da América do Sul.

Também se acredita que a CAF pedirá uma aprovação formal de planos para uma Superliga, outra ideia de Infantino, que terá uma escala permanente de cerca de 20 times com uma ou duas mudanças por temporada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos