Às vésperas da reapresentação e em meio a negociações, saída de Pelaipe faz bastidores do Flamengo 'ferver'

Matheus Dantas
LANCE!
Braz foi fundamental na chegada de Jesus e tinha em Pelaipe como homem de confiança (F: Alexandre Vidal/CRF)
Braz foi fundamental na chegada de Jesus e tinha em Pelaipe como homem de confiança (F: Alexandre Vidal/CRF)


O Flamengo se reapresenta nesta terça, no Ninho do Urubu e, em vez do foco do clube estar apenas nas tratativas por reforços, nos acertos com Gabigol e Jorge Jesus e no planejamento para 2020, também estará em acalmar os bastidores da Gávea, efervescentes após a saída do gerente Paulo Pelaipe.

Logo de cara, a entrevista com os nomes fortes do futebol - o VP Marcos Braz e o diretor Bruno Spindel, além do próprio Pelaipe -, prevista para esta terça, antes da reapresentação do time no Ninho do Urubu, foi cancelada. O trio atualizaria a posição do clube nas várias frentes no mercado neste momento.

Mais do que isso, o fato da decisão pela não permanência de Paulo Pelaipe ter partido de outro setor do clube além do futebol, expôs e aumentou o mal-estar entre duas correntes na Gávea: uma encabeçada por Braz, outra por Luiz Eduardo Baptista, o Bap, vice-presidente de Relações Externas do Flamengo.

A reação foi imediata. Após uma temporada histórica, em que o Flamengo atingiu um patamar financeiro e esportivo elogiável, o anseio é que disputas pessoais e políticas, tais como estas, sejam o principal adversário do clube.

De volta ao clube de 2019, no início do mandato de Rodolfo Landim, Pelaipe tinha contrato até o último dia 31 e, ainda em dezembro, teve a sequência no clube acertada, com o aval de Braz. O acordo chegou à mesa da presidência, mas não foi para o papel por influência do grupo do Bap. As duas partes já haviam entrado em atrito em maio, na época da saída do técnico Abel Braga, cuja permanência era defendida pelo vice-presidente de Relações Externas.

Homem de confiança de Marcos Braz - determinante para a chegada de Jorge Jesus -, Paulo Pelaipe construiu uma relação próxima ao treinador durante o segundo semestre por conta do dia a dia no Ninho do Urubu. A renovação com o Mister, cujo vínculo é válido até o fim de maio, é prioridade no Flamengo.

As tratativas com a Inter de Milão e Gabriel Barbosa, a busca e conversas por reforços... O departamento de futebol pode ser obrigado a dar "pause" em pautas importantes para 2020 por conta do desgaste causado pela decisão tomada sem consulta aos nomes fortes da pasta: Marcos Braz e Bruno Spindel.











TORCIDA REAGE NAS REDES SOCIAIS

A repercussão da saída de Paulo Pelaipe, expondo o "racha interno" no clube da Gávea, foi enorme e imediata. A #ForaBap logo alcançou os assuntos mais comentados no Brasil, pedindo a saída do VP de Relações Externas. Os nomes do Paulo Pelaipe, do Marcos Braz e do Rodolfo Landim tiveram o mesmo rumo.

O ex-presidente Kleber Leite, por sua vez, usou seu blog para questionar a decisão. O histórico dirigente, em seu blog, afirmou não entender a decisão sobre a saída de Paulo Pelaipe ter partido de outro setor além do futebol.

- Juro que não consigo entender. Quem manda no futebol é o vice de futebol ou o de relações externas? Quem sabe o que é bom ou ruim para o futebol é o seu vice ou, virou bagunça? - escreveu Kleber Leite, em referência ao fato da não permanência de Pelaipe ter tido influência do VP de Relações Externas.





Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também