À espera de Neymar, Brasil inicia preparação para jogos contra Uruguai e Paraguai

O atacante do Barcelona Neymar, em Barcelona, em 19 de março de 2017

Ainda sem Neymar e com a equipe incompleta, o Brasil realizou nesta segunda-feira um primeiro treino em São Paulo, de cara para os duelos contra Uruguai e Paraguai, pelas eliminatórias sul-americanas, nas quais a seleção tentará carimbar a classificação à Copa do Mundo-2018.

No primeiro treino no lugar que durante anos foi seu escritório, o CT do Corinthians, o técnico Tite contou apenas com 14 de seus convocados, à espera dos outros 9 jogadores, que se integrarão ao grupo na terça-feira.

Ao lado de alguns juniores do Corinthians, clube com o qual o hoje técnico da seleção conquistou a Copa Libertadores e o Mundial de Clubes em 2012, treinaram os jogadores que atuam na Liga Chinesa: Gil, Paulinho e Renato Augusto, além de Willian (Chelsea) e Diego Souza (Sport).

Ainda se recuperando das partidas do último fim de semana, Marcelo e Casemiro (Real Madrid), Filipe Luis (Atlético de Madri), assim como Dudu, atacante do Palmeiras chamado para substituir o lesionado Douglas Costa, realizaram exercícios mais suaves.

Nesta segunda-feira à noite é esperada a chegada de outros convocados oriundos da Europa, como Thiago Silva e Marquinhos (PSG) e Philippe Coutinho (Liverpool).

Tite, porém, só poderá contar com o grupo completo na madrugada desta terça-feira. Os últimos a desembarcar em São Paulo serão Neymar, estrela do Barcelona e da seleção, e o lateral Daniel Alves (Juventus).

Na tarde desta terça, a seleção realizará seu primeiro treino completo antes de viajar a Montevidéu, onde na quinta-feira medirá forças com o Uruguai, mas não poderá contar com Gabriel Jesus, desfalque do Brasil devido à fratura no pé que freou sua impressionante ascensão no Manchester City.

No Estádio Centenário, o Brasil de Tite voltará a competir depois da parada que seguiu os três meses incrível da equipe.

Quatro dias depois, o Brasil receberá em São Paulo o Paraguai, um confronto que poderá selar matematicamente a classificação ao mundial russo do ano que vem.

Sob o comando de Tite, que substituiu o muito criticado Dunga em junho do ano passado, o Brasil conquistou seis vitórias consecutivas nas eliminatórias, emergindo do sexto para o primeiro lugar da competição.