À espera de exame de Balbuena, dupla da base mira titularidade

O Corinthians vive a expectativa nesta terça-feira de saber qual é a gravidade da contusão do zagueiro Balbuena, capitão da equipe, que deixou a partida contra a Ponte Preta reclamando de fortes dores na coxa direita. À espera do resultado do exame do companheiro, os garotos Pedro Henrique e Léo Santos, dupla formada nas categorias de base e únicas opções no momento para o setor, esperam por uma sequência de jogos no clube.

“Vejo com bons olhos essa oportunidade de jogar, como tive a oportunidade agora entrando após a sequência grande de jogos do Pablo”, comentou Pedro Henrique, provável substituto, que já havia entrado no lugar do próprio paraguaio contra o Mirassol, no mês passado, no único jogo em que Balbuena havia descansado até a contusão frente a Macaca.

“Não sabemos ainda o que aconteceu com o Balbuena, o doutor ainda não falou nada. Mas, se houve alguma coisa, espero que ele se recupere logo e volte a nos ajudar como vinha nos ajudando”, avaliou o jogador de 21 anos, que atuou em algumas partidas no ano passado e é considerado um jogador “mais pronto” pela comissão técnica com relação a Léo, de apenas 18, que fez o gol diante dos campineiros.

“Vai ser uma briga muito sadia, vou procurar fazer o meu e trabalhar com qualidade. A oportunidade aparece, apareceu no domingo e eu aproveitei. A decisão é do Fábio Carille, vou continuar trabalhando e mantendo o foco”, comentou o mais jovem da dupla, que havia jogado apenas uma outra vez no profissional, formando dupla exatamente ao lado de Pedro.

Naquela ocasião, porém, o empate por 1 a 1 contra o Figueirense, no Orlando Scarpelli, deixou-o bem longe da felicidade alcançada com o duelo frente à Ponte. Titular devido a uma série de lesões dos titulares, O garoto viu o Corinthians segurar uma vantagem mínima durante o segundo tempo inteiro, mas levar um gol nos acréscimos e deixar escapar os dois pontos.

“Naquele jogo do Figueirense, minha estreia, infelizmente tomamos gol no último minuto. Mas com certeza, contra a Ponte Preta, o gostinho do jogo foi muito melhor. O empate foi praticamente uma vitória”, relembrou Léo, “bastante consciente”, assim como seu parceiro, dos pontos que precisa melhorar daqui para frente. “Muito treino, muito treino”, limitou-se a dizer o atleta.

“Acho que, ano passado eu comentei que estava muito afobado”, contou Pedro. “Venho melhorando isso nos treinamentos, o pessoal vem me cobrando muito e eu aceito as cobranças. Elas aparecem para você melhorar e é isso que preciso melhorar. Vou trabalhar nos treinamentos e nessa sequência de jogos não ter mais isso”, concluiu.