Niterói sediou o maior festival de esportes aquáticos do Mundo

Rodrigo Capote / @rcapotefotos


As praias de São Francisco e Itaipu, em Niterói, ganharam um colorido todo especial . As duas enseadas que já ajudaram a consagrar o município como Capital da Vela , sediaram neste final de semana (24 e 25/09), uma etapa do campeonato Aloha Spirit Festival 2022, o maior festival de esportes aquáticos do mundo. A programação incluiu competições das seguintes modalidades: natação em águas abertas, canoa polinésia, stand up paddle, paddleboard e surfski. De acordo com a organização do evento, participaram das provas cerca de 1.800 atletas de 16 estados brasileiros e de países como Argentina e Peru. O evento reuniu mais de 4500 em três dias nas arenas.

O Aloha Spirit Festival 2022 é uma realização da Associação Magna de Desportes, produção da Ecooutdoor Sports Business, com apoio da Prefeitura de Niterói, através da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SMEL). O Aloha Spirit Niterói contará pontos para a Copa Brasil de Va'a para OC6, V6 e V3, ranking válido para as provas de longa distância conforme o regulamento da Copa. Já a competição de Stand Up Paddle será válida para o campeonato estadual.

O diretor do Aloha Spirit, João Castro, ressaltou a importância do festival na cidade de Niterói e elogiou a vista.
“Somos um festival de esportes aquáticos para quem ama o mar. Para muitos somos o primeiro evento escolhido para ser disputado. Para muitos outros, somos o principal”, explicou Castro.

As provas de natação em mar aberto foram realizadas na Arena Itaipu, na Praia de Itaipu, na Região Oceânica. As demais provas e atividades paralelas, como yoga, shows, clínicas e palestras estão acontecendo na Arena Geral, na Praia de São Francisco.

A programação do Aloha Spirit Festival 2022 começou na sexta-feira (23) com uma sessão de cinema ao ar livre em São Francisco. As atividades prosseguiram até a noite com a entrega de kits de competição, troca de lixo eletrônico por brindes, oficinas educativas, aula gratuita de dança polinésia, show musical e um congresso técnico de canoa polinésia. Na sexta-feira, em Itaipu, aconteceu o projeto Vou de Canoa, com educação ambiental e vivência com a canoa polinésia.

As atividades começaram cedo nas duas arenas. Em São Francisco, houve provas de canoa máster e amador; yoga aberta ao público; competições de stand up paddle; paddleboard e surfski. O dia terminou com a Festa Aloha Spirit. Em Itaipu, aconteceram as provas de natação em águas abertas em várias categorias.
Neste domingo (25), último dia do evento, a programação incluiu novas provas de natação em águas abertas em Itaipu. Em São Francisco, ocorrem novas provas de canoa polinésia e stand up paddle, além de sessões de yoga abertas ao público.

Enquanto os atletas se aventuram no mar, diversas atividades acontecem em paralelo na areia: descarte de lixo eletrônico, exposição do Projeto Aruanã que faz o monitoramento de tartarugas marinhas na Baía de Guanabara e adjacências. Consulte a programação detalhada pelo site https://www.alohaspirit.com.br

Atletas aprovaram o evento

Medalhista de ouro no Stand Up Paddle (SUP) Race nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019, no Peru, a niteroiense também foi campeã no SUP Pró Técnico Feminino do Aloha Spirit Niterói.

“É um esporte que a gente rema em pé na prancha, aqui no Aloha essa é uma prova bem dinâmica, onde são feitos muitos contornos de boias, com riscos de queda e o público pode ver bem de perto e nós atletas podemos ouvir bem a platéia”, disse.

Morador de São Vicente, litoral de São Paulo, o atleta André Paiva garantiu o primeiro lugar no SUP Pró Técnico Masculino e se surpreendeu ao chegar na primeira colocação.

“Foi ótima a prova, me inscrevi de última hora, no sábado (24) também fiz um pódio e fiquei em 5º lugar geral e neste domingo (25), Deus me abençoou e cheguei em primeiro. No final da prova entrou um vento, mas deu tudo certo. Participo das competições do Aloha desde 2012, esse ano sou super master e estou liderando o ranking brasileiro. Adoro participar do Aloha”, destacou.

Oriundo do projeto Canoa Rio atende crianças e adolescentes oriundos de escola pública oferecendo a prática esportiva da canoa havaiana,o campeão brasileiro júnior de canoagem havaiana, Eduardo Gadelha Junior 16, participou do evento e comentou sobre as condições do mar para o evento.

“ O evento está sendo maravilhoso, bastante canoa, bastante competidor de todas as idades. Bastante competitivo, o vento estava forte e dificultou um pouco, mas foi um sucesso”, disse.

O atleta de canoagem e Stand Up Paddle, Ivan Mundim, foi prestigiar o evento e falou um pouco do que significa o Aloha Spirit para ele.

“Um festival que tem uma pegada forte de competição, mas abre muito espaço para os mais jovens, que estão querendo ingressar e experimentar as competições. O Aloha é a competição ideal para isso, ele hospeda todas as tribos, aqueles que estão começando, que querem se aventurar em competições e aqueles que já são experientes”, completou.

Provas incluíram deficientes visuais e mulheres em tratamento de câncer

No sábado (24/09) as atividades tiveram a participação de atletas amadores e consagrados, que disputaram natação em águas abertas, Canoa Polinésia, Stand Up Paddle, Paddleboard e Surfski. Já no domingo (25/09) as provas contaram com natação, Canoa Polinésia e Stand Up Paddle .

“Minha equipe é composta por cinco deficientes visuais e três deles não enxergam nada e os outros apenas vultos. Temos um método a cada remada, que nos ajudam a entrar. Foi incrível poder competir aqui, estamos treinando há um mês e meio e chegamos na frente de outras canoas de pessoas sem deficiência “, disse Guilherme Borrajo da equipe Moai Va’a Blind.

A equipe Rosas Va'a, do Hei Hei Va'a Team Mirage, de Niterói, que conta com atletas mulheres que fazem tratamento ou estão de alta por conta do câncer também participaram do evento.

“Foi uma grande alegria poder participar desse evento. Achava que elas queriam só remar, elas começaram a competir e hoje estamos aqui nesta edição para competir. Competimos na categoria 50+ e estamos muito felizes por estarmos aqui”, destacou Letícia mendes.

Sábado:

Categoria: OC6 Amador Master 40 Feminino
1 – HokuVaa
2 – Tropicália Clube
3 – Crispy Koa Vaa – Macaé

Categoria: OC6 Amador Open Feminino
1 – Vaa – Ilha Grande
2 – Fusão Clube
3 – Só Va’ai – Open Fem.
4 – Tribo Hoe Estreante Feminina
5 – Paddleclubbarra
6 – Moai
7 – Olukai Hoe
8 – Equipe B Vaa Ilha Grande
9 – Base Huna
10 – Copa Va’a
11 – Huna Team

Categoria: OC6 Amador Legends 60 Feminino
1 – Mauna Nani
2 – Esquilo Sports Club
3 – Base Hina

Categoria: OC6 Amador Legends 60 Masculino
1 – Guapuruvu A
2 – Mauna Lona
3 – ATR Hoemana Legend
4 – Esquilo
5 – Crispy Koa Vaa – Macaé

Categoria: OC6 Amador Master 50 Feminino
1 – Kanaloario
2 – Crispy Koa Vaa
3 – ATR – Hoe Mana Wahines Super Máster
4 – Hei Hei Vaa Niterói

Categoria: OC6 Amador Master 50 Masculino
1 – Esquilo Sports Club
2 – Soul Vaa Máster 50
3 – Makami Búzios
4 – Riovaa Máster 50
5 – Amauwaa50
6 – Crispy Koa Vaa – Macaé
7 – Kanaloa Rio

Categoria: OC6 Amador Mista Master 40
1 – Soula Vaa
2 – MPS
3 – Base Huna
4 – Copa Vaa

Categoria: OC6 Amador Mista Open
1 – Ilha Grande
2 – Arariboia
3 – Tropicalia
Categoria: OC6 Junior
1 – Instituto Vaa Para o Mar
2 – Aldeia Vaa
3 – Bra Va’a Guanabara
Rio Vaa Juniores

Categoria: V3 AMADOR OPEN FEMININO

1 – Moai
2 – Free Vaa Ilha Grande/Vaa Lifet
3 – Equipe Lilo Vaa Ilha Grande
Categoria: V3 AMADOR OPEN MASCULINO
1 – Free Vaa Ilha Grande/Vaa Life
2 – Tribo Hoe Estreante V3
3 – Point Kaveli