Morre Milton Gonçalves, lenda da TV brasileira e torcedor apaixonado do Flamengo

Milton Gonçalves morreu nesta segunda-feira, aos 88 anos (FOTO: Reprodução)


Morreu nesta segunda-feira (30), aos 88 anos, o ator e diretor Milton Gonçalves. Ele estava com a saúde fragilizada desde 2020, quando sofreu um AVC e precisou ficar internado por três meses, respirando com auxílio de aparelhos. Segundo informaram familiares ao portal G1, o óbito ocorreu por volta de 12h30.

Com carreira marcante na teledramaturgia, cinema e teatro, o mineiro nascido em 9 de dezembro de 1933 na pequena cidade de Monte Santo era flamenguista apaixonado. Em 2012, chegou a concorrer ao cargo de vice-presidente do clube em chapa encabeçada por Ronaldo Gomlevsky. Três anos antes, gravou vídeo para a TV recitando poema do jornalista Artur da Távola em que exaltava o amor pelo Rubro-Negro. O clube prestou condolências à família e homenageou o artista em suas redes sociais.

No cinema, Milton Gonçalves atuou no filme "Pelé - O nascimento de uma lenda", dos americanos Jeff Zimbalist, Michael Zimbalist interpretando Waldemar de Brito, ex-jogador que ficou famoso por ter descoberto Pelé em Bauru e levado o Rei para jogar no Santos.

TRAJETÓRIA

Considerado um dos maiores atores da história da televisão brasileira, Milton Gonçalves ficou muito conhecido por papéis em novelas que marcaram época, como o Zelão das Asas em "O bem-amado" (1973), o médico Percival em "Pecado capital" (1975) e o Pai José em "Sinhá Moça" (1986). Ele também participou de inúmeras produções consagradas como "Roque Santeiro" (1985) e "Agosto" (1993).

Ele também teve papel de destaque em minisséries e filmes. Em 2006, foi indicado ao Emmy Internacional por sua atuação na segunda versão de "Sinhá Moça". No cinema, fez parte do elenco em filmes como "Macunaíma", um dos marcos do Cinema Novo.

Muito engajado na luta contra o racismo, Milton foi um batalhador pelo reconhecimento do trabalho de atores negros. Em 1994, chegou a concorrer ao governo do Rio de Janeiro pelo PMDB.

Seu último trabalho em novela foi em "O Tempo Não Para" (2018), com o papel de Eliseu, um catador de materiais recicláveis. Em 2019, ele atuou na minissérie "Se eu Fechar os Olhos Agora". No Carnaval deste ano, a Acadêmicos do Santa Cruz, da Série Ouro do Rio, homenageou o ator com o enredo de seu desfile.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos