Mo Farah anuncia desistência da maratona de Londres por lesão

Mo Farah anunciou que está fora da Maratona de Londres, marcada para o próximo domingo. Foto: Richard Heathcote/Getty Images
Mo Farah anunciou que está fora da Maratona de Londres, marcada para o próximo domingo. Foto: Richard Heathcote/Getty Images

O tetracampeão olímpico e hexacampeão mundial, Mo Farah, era uma das grandes atrações da Maratona de Londres, marcada para o próximo domingo (2). Ele vinha treinando bem e venceu o The Big Half em Londres no início deste mês, mas recentemente sofreu uma lesão no quadril e, apesar do tratamento intensivo, não está apto para competir na capital inglesa.

“Eu tenho treinado muito duro nos últimos meses e me recuperei em boa forma e estava me sentindo bastante otimista sobre poder ter um bom desempenho na Maratona de Londres”, disse Farah em comunicado.

Leia também:

"No entanto, nos últimos 10 dias, tenho sentido dor e aperto no quadril direito. Fiz fisioterapia e tratamento extensos e fiz tudo o que posso para estar na linha de partida, mas não melhorou o suficiente para competir no domingo", seguiu.

"É realmente decepcionante ter que desistir depois de bons últimos meses e depois da minha vitória no The Big Half, mas também porque amo correr na frente da minha torcida em Londres, que sempre dá a todos nós, atletas, um apoio incrível. Desejo a todos os participantes no domingo uma boa corrida e espero estar de volta com vocês em abril de 2023", finalizou.

Hugh Brasher, diretor de eventos da Maratona de Londres falou sobre a ausência de Mo Farah. "Lamentamos muito que Sir Mo não esteja apto para correr no domingo. Desejamos a ele uma recuperação muito rápida e esperamos vê-lo correndo a Maratona de Londres 2023 em abril do próximo ano", lamentou.

Outra que não vai disputar a prova é a a recordista mundial feminina Brigid Kosgei, duas vezes campeã da Maratona de Londres, que desistiu da corrida devido a uma pequena lesão no tendão.

Kosgei venceu a Maratona de Londres em 2019 e 2020, antes de terminar em quarto no ano passado depois de ganhar uma medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio.

A queniana estabeleceu o recorde mundial feminino de 2h14:04 na Maratona de Chicago de 2019 e venceu a Maratona de Tóquio no início deste ano em 2h16:02, o quarto tempo mais rápido da história.