Merentiel veste a camisa 9, cita papo com Lucas Barrios e vê Palmeiras 'em nível europeu'

Merentiel vestiu a camisa 9 do Palmeiras (Foto: Alexandre Guariglia / Lancepress)


A espera do torcedor do Palmeiras por um camisa 9 chegou ao fim. Miguel Merentiel, de 26 anos, foi apresentado como jogador do clube nesta terça-feira (12), na Academia de Futebol, e usará o tão falado número em questão. Ele poderá entrar em campo a partir de 18 de julho, data da abertura da janela de transferências no Brasil, mas sua estreia deve acontecer somente no dia 21, contra o América-MG.

GALERIA
> Confira os públicos do Palmeiras no Allianz Parque em 2022

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2022

> Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

O atacante uruguaio foi contratado pelo Palmeiras junto ao Defensa y Justicia (ARG), por 1,5 milhão de dólares (R$ 7,5 milhões na cotação da época), e sua apresentação ocorreu junto com a de outro reforço do Alviverde para o ataque: José Manuel López, que chegou do Lanús (ARG) e vestiu a camisa 18.

Em seu ex-time, Merentiel jogou com Lucas Barrios, atacante paraguaio campeão da Copa do Brasil (2015) e do Brasileirão (2016) pelo Verdão. O uruguaio revelou que, quando procurado pelo clube paulista, a primeira coisa que fez foi conversar com o companheiro.

- Quando Palmeiras me procurou, a primeira coisa que fiz foi falar com Lucas Barrios, que jogava no Defensa comigo. Ele me falou muito bem do clube, das instalações... as instalações são muito boas, de primeiro nível.

Há tempos a torcida alviverde clama por um camisa 9. O último a utilizar o número foi Deyverson, mas apenas na disputa da Libertadores. Agora, Merentiel se diz contente com a escolha.

- Sobre os números, eram os que tinham para nós. Não tinha muita variedade de números. Foi o que o clube nos ofereceu. Hoje estou com a 9, e o Flaco com a 18, estamos contentes de ter estes números.

O uruguaio não cansou de elogiar as instalações da Academia de Futebol e não escondeu a emoção de fazer parte da equipe bicampeã da América. Segundo o atacante, que já se considera adaptado ao Brasil, em diversas esferas o Verdão tem 'nível altíssimo'.

- É algo grandioso. É uma equipe que está em nível europeu, tanto nas instalações, como no time, corpo técnico. Nível altíssimo. Estamos muito contentes de estar aqui. A viagem ao Brasil está sendo produtiva, já havia saído de casa, do meu país. Estamos adaptados. Estou com minha esposa aqui, com minha família aqui no Brasil. Muito contente de fazer parte do Palmeiras, nos trataram da melhor maneira.

Algo que ajudou o reforço a se adaptar foi o acolhimento dos companheiros de elenco. Ele se surpreendeu com a humildade da recepção de todos e citou até as brincadeiras com Gustavo Scarpa, conhecido por 'pegar no pé' dos estrangeiros do time.

- Scarpa, faz muitas brincadeiras, alegra o ambiente, me recebeu muito bem. Quando se chega em uma equipe tão grande como esta, pensa: 'Como vamos encontrar os companheiros?'. E nos receberam muito bem. Fiquei impressionado com a recepção dos jogadores. Em um clube tão grande, que ganha títulos e recebe assim, tão humildemente. Isso toca o coração. Jogamos muito com o Scarpa, ele nos faz muitas piadas. Todos nos receberam muito bem, tanto os que são de fora: Gustavo (Gómez), Piquerez, Atuesta, Kuscevic... Estamos aí sempre falando em espanhol e entendendo aos poucos o português. Estamos muito contentes como todos nos receberam.

CONFIRA ABAIXO OUTROS TÓPICOS DA ENTREVISTA:

Jogos com Palmeiras
- Encontrei o Palmeiras algumas vezes. Nem todas joguei, uma vez foi na Recopa, não havia público. Foi algo diferente para todos. Joguei com público quando estava no Godoy Cruz, foi muito bom. Trabalhando no dia a dia para que, no momento que jogar, estar preparado.

O que esperam aprender no futebol brasileiro e com Abel Ferreira?
Sabemos que viemos a um clube ganhador, todas as partidas precisamos ganhar. Estamos nos preparando para no dia em que tivermos que jogar, darmos o nosso máximo, podermos ajudar a equipe. Há muitos bons jogadores no Palmeiras, para o clube levar como leva todos os torneios. Tentaremos nos preparar da melhor maneira para estarmos preparados no dia que for preciso.

Características
O que vão ver de mim é um jogador que se move no ataque, tenta sempre a diagonal. Sempre vou estar para ajudar a equipe, tanto como (centroavante de) ofício. Ajudar a equipe onde precise. Estamos só esperando para entrar em campo e estar nos jogos.

Merentiel e López podem jogar juntos?
Nos daríamos muito bem se jogassemos juntos. O foco é no dia a dia, trabalhar ao máximo. Temos o Rony em grande momento, Navarro é um atacante muito bom, o Flaco é outro bom atacante. Conforme o treinador necessite, conforme também como a partida esteja, ele pode optar por um ou por outro, ou pelo que esteja melhor. E vamos estar preparados para o dia que tivermos que entrar na equipe e dar o melhor.

Abel Ferreira
- O primeiro contato com o Abel foi muito bom. Nos recebeu da melhor maneira, nos deu instruções de como joga o time. Tem que trabalhar dia a dia para ganhar seu lugar. E estamos trabalhando para ter lugar. Já enfrentei o Palmeiras, é uma grande equipe, jogamos quando estava no Defensa. As partidas foram complicadas, algumas ganhou o Palmeiras, outras o Defensa. No final, foram partidas muito boas. É um time com um jogo parecido com o Defensia, o que facilita muito pra mim na hora de jogar.

Motivo da escolha pelo Palmeiras ao invés de outros clubes
- Nos chegaram muitas ofertas, tanto a mim como suponho que ao Flaco também. Pelo momento que vínhamos vivendo. Vir ao bicampeão da América, que ganhou a Lubertadores duas vezes seguidas, impressiona muito. Motiva muito. Motiva a vir, a ajudar os companheiros. Pessoalmente, quando chegou essa opção, estava seguro e convencido que deveria vir para cá, estar aqui. Estou muito contente de estar no bicampeão da América. Que sigamos conseguindo títulos e alcançando mais coisas. Vamos seguir entregando o máximo para estarmos preparados.

Ídolo de infância e referência no futebol brasileiro
- Na minha infância, tinha referências de jogadores uruguaios. Como Forlán, Suárez, Cavani. Aqui do Brasil, quem sempre me impressionou muito foi Ronaldo e Ronaldinho, jogadores que víamos quando eramos crianças. São jogadores que me impressionaram muito. Na minha carreira e na minha vida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos