Melhor goleiro do Brasileirão de 2001 declara homossexualidade

Convidado do último episódio do podcast do portal ge.com “Nos Armários dos Vestiários”, o ex-goleiro Emerson Ferretti contou sua história durante a carreira que teve passagens por Grêmio, Bahia, Juventude, Flamengo, América-RN, América-RJ, Ituano, Bragantino e Vitória.

Ele contou que ficou marcado por um lance em um treino, ainda no começo da carreira, em 1993. Durante a pré-temporada do Grêmio, em jogo treino contra o Capão da Canoa, Emerson se jogou contra o atacante Melancia e levou a pior.

Leia também:

O choque provocou lesão gravíssima em sua perna direita e o goleiro que já era nome conhecido por suas convocações para a seleção brasileira nas categorias de base, chamou a atenção pela atitude arriscada em um jogo que não valia nada, e que terminaria com uma goleada gremista por 6 a 1.

“Eu me joguei desesperado. Na verdade, o desespero era outro, não era um desespero para não tomar gol. A minha vida pessoal, a cada defesa que eu fazia, cada vez que eu me destacava mais dentro de campo, o buraco vazio aumentava também inversamente proporcional. Quanto mais famoso eu ficava, mais difícil se tornava ser gay dentro desse ambiente”, conta.

“Eu não tinha tido contato com o mundo gay até então, com 21 anos. Então, quando eu quebrei a perna, e foi uma lesão grave que poderia inclusive ter acabado com minha carreira, porque quebrou a tíbia e fíbula, eu acabei saindo de cena, apesar de toda a fama e todo a comoção que causou no Rio Grande do Sul. Mas eu acabei saindo de cena um pouco e foi o que me deu a oportunidade de poder repensar algumas coisas e começar a equilibrar isso. Foi inconsciente, mas foi um ato de desespero mesmo para tentar mudar o rumo das coisas”, desabafou.

No podcast, Emerson falou sobre como lidou com sua sexualidade durante a carreira de mais de 30 anos e tenta ser um exemplo positivo para os jogadores mais jovens ainda sofrem preconceito no mundo do futebol.

“O ambiente do futebol é muito hostil para um gay, muito mesmo. Eu fico imaginando quantos garotos desistiram de se tornar jogador de futebol por conta disso, por perceberem essa situação. Quantos talentos foram perdidos? O futebol perdeu, os clubes perderam, porque o ambiente realmente não ajuda. Eu segui com tudo isso, mas sofri com as consequências de seguir, era o meu sonho. Eu queria ser goleiro do Grêmio. Eu queria ser um jogador de futebol. Eu conquistei isso, só tive que que enfrentar um outro lado que é muito difícil”, explicou.

Emerson conquistou o título da Copa do Brasil com o Juventude em 1999 e foi eleito bola de prata como melhor goleiro do Brasileirão de 2001, defendendo o Bahia.